NOTÍCIAS

'Morre gente, morre bicho': Criolo não quer que você esqueça o desastre de Mariana

02/11/2016 18:28 BRST | Atualizado 02/11/2016 18:28 BRST
NOVO! DESTAQUE E COMPARTILHE
Destaque o texto para compartilhar no Facebook e no Twitter

criolo mariana

#1AnoDeLamaELuta

Este é o mote da campanha abraçada pelo rapper Criolo para que o maior desastre ambiental do País que deixou 19 mortos não passe em branco.

Você deve se lembrar: No dia 5 de novembro do ano passado, a barragem de Mariana, em Minas Gerais, rompeu-se gerando um tsunami que lama que destruiu o distrito, a fauna e a flora da região.

Além das 19 mortes, a tragédia deixou mais de 600 desabrigados e atingiu mais de 40 cidades da Região Leste de Minas Gerais e no Espírito Santo.

Em vídeo produzido em parceria com o Greenpeace Brasil, o rapper recita versos que lembram a catástrofe:

Naquela barragem da mente se escondia um perigo.

O que olhos não veem, o coração se afunda no lixo.

Mente podre que esconde o sumiço

Do amor mais puro do mundo

Morre gente, morre planta, morre bicho

Dentro de mim, corria um rio

Um tanto verdade e um outro tanto fingido

MPF denuncia executivos da Samarco

O Ministério Público Federal denunciou 26 pessoas físicas e jurídicas pelo rompimento da Barragem de Fundão, em Mariana (MG). Do total, 21 pessoas são acusadas de homicídio qualificado com dolo, que significa que houve intenção de matar. São eles 16 executivos da Samarco e cinco da Vale e BHP, gestores da Samarco.

Os executivos também foram acusados de crimes de inundação, desabamento, lesão corporal e crimes ambientais.

LEIA TAMBÉM:

- Samarco achou 'caro demais' investimento que teria evitado desastre de Mariana

- Vale alterou dados da barragem que rompeu em Mariana para atrapalhar investigações

- Marinha retira sigilo de estudo sobre lama no Rio Doce