NOTÍCIAS

Crivella: 'Agradeço o voto dos católicos, umbandistas, kardecistas e ateus'

30/10/2016 19:57 BRST | Atualizado 30/10/2016 19:57 BRST
YASUYOSHI CHIBA via Getty Images
Rio de Janeiro's mayoral candidate for the Brazilian Republican Party (PRB) Marcelo Crivella speaks to the press after casting his vote at a polling station during the municipal election runoff in Rio de Janeiro, Brazil, on October 30, 2016. An evangelical mega-church bishop who once branded Catholics demons was expected to become mayor of Rio de Janeiro on Sunday in nationwide municipal elections confirming Brazil's shift to the right. / AFP / YASUYOSHI CHIBA (Photo credit should read YASUYOSHI CHIBA/AFP/Getty Images)

O prefeito eleito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB) se pronunciou na noite deste domingo (30), após ter sua vitória confirmada contra o candidato do PSOL, Marcelo Freixo. Crivella se elegeu com 59,37% dos votos válidos contra 40,63% do candidato do PSOL.

Em uma das bases eleitorais em Bangu, na zona oeste do Rio, Crivella falou com a imprensa e agradeceu o votos dos seus eleitores. O candidato do PRB também rebateu as denúncias que surgiram durante a campanha no segundo turno. "Vencemos uma onda enorme de preconceito por parte de uma mídia facciosa", criticou.

Em um dos momentos mais críticos, quando foram reveladas passagens do seu livro Evangelizando a África , o prefeito eleito fez pesadas adjetivações sobre os católicos e outras religiões, apresentadas como "diabólicas", além de afirmar que os homossexuais são um "terrível mal" e tem uma "conduta maligna".

No seu discurso, Crivella fez questão de agradecer o apoio das religiões em que ele criticou no livro. "Quero agradecer a toda a igreja católica e também os eleitores umbandistas, kardecistas e até mesmo ateus", frisou.

O candidato do PRB diz que não vai ter uma "memória de vingança"e que o ambiente de eleição acaba hoje. "O processo eleitoral termina aqui. Nós não temos memórias para calúnia e infâmia", disse. "Nós vamos concentrar todas as nossas energias na nossa missão que é cuidar das pessoas do Rio de Janeiro", concluiu.