NOTÍCIAS

Fotógrafo Steve McCurry promete ajudar refugiada presa no Paquistão

27/10/2016 18:15 BRST | Atualizado 27/10/2016 18:15 BRST
ULRICH PERREY via Getty Images
US photographer Steve McCurry poses next to his photos of the 'Afghan Girl' named Sharbat Gula at the opening of the 'Overwhelmed by Life' exhibition of his work at the Museum for Art and Trade in Hamburg, northern Germany on June 27, 2013. The exhibition comprises some 120 photographs taken between 1980 and 2012 in countries such as Afghanistan, the United States, Pakistan, India, Tibet, Kashmir, Cambodia, Indonesia, Burma and Kuwait. AFP PHOTO / DPA / ULRICH PERREY GERMANY OUT RESTRICTED TO EDITORIAL USE, MANDATORY MENTION OF THE ARTIST UPON PUBLICATION, TO ILLUSTRATE THE EVENT AS SPECIFIED IN THE CAPTION (Photo credit should read ULRICH PERREY/AFP/Getty Images)

O fotógrafo Steve McCurry, nesta quinta-feira (27), que vai ajudar Sharbat Gula, refugiada afegã de olhos verdes imortalizada em uma capa da revista "National Geographic" em 1985.

Ela foi presa nesta quarta-feira (26), em Peshawar, no nordeste do país, acusada de falsificar o documento de identidade paquistanês. Protagonista de uma das fotos mais célebres da história, Gula já era investigada desde 2015, quando descobriu-se que ela vivia no país usando documentos falsos com o nome de Sharbat Bibi.

"Estou comprometido a fazer tudo o que for possível para prover suporte legal e financeiro para ela e sua família", disse McCurry, que classificou a detenção como uma "violação dos direitos humanos".

Gula foi retratada pelo fotógrafo Steve McCurry em 1984, quando tinha acabado de chegar ao campo de refugiados de Peshawar, fugindo da guerra soviética no Afeganistão.

Na época, ela tinha apenas 12 anos, e a foto estampou a capa da "National Geographic" em junho de 1985. Seu olhar intenso voltado à câmera fez com que ela fosse chamada de "Mona Lisa do Terceiro Mundo".

Depois de 17 anos, em 2002, McCurry reencontrou Gula vivendo no campo de refugiados de Nasir Bagh, também no Paquistão, e a fotografou novamente. O retrato foi publicado na mesma revista e a mostra com os olhos magnéticos que a tornaram famosa no mundo inteiro.

"Sharbat Gula foi o símbolo dos refugiados por décadas. Agora, ela se torna a face dos imigrantes indesejados", afirmou o fotógrafo, em uma postagem que mostra uma foto atual de mulher, que criou quatro filhos sozinha.

"Ela representa todas as mulheres e homens corajosos que encaram qualquer dor e dificuldade para proteger o que eles tem de mais precioso: seus filhos".

(Com informações da Ansa)