NOTÍCIAS

Justiça Federal do DF aceita denúncia contra Cunha e ex-ministro Henrique Eduardo Alves

26/10/2016 21:39 -02 | Atualizado 26/10/2016 21:39 -02
EVARISTO SA via Getty Images
Brazilian deputy Eduardo Cunha, former president of the Lower House of Congress, speaks during the session of the Committee on Constitution and Justice, in Brasilia on July 12, 2016. Cunha, the Brazilian politician who spearheaded the drive to impeach suspended president Dilma Rousseff, on July 7 resigned from his post as congressional speaker as a corruption probe closed in on him. / AFP / EVARISTO SA (Photo credit should read EVARISTO SA/AFP/Getty Images)

A Justiça Federal do Distrito Federal aceitou nesta quarta-feira (26) denúncia contra os ex-presidentes da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) por suspeitas de irregularidades envolvendo a Caixa Econômica Federal.

Com a decisão, do juiz Vallisney Oliveira, da 10ª Vara do Distrito Federal, Cunha, o ex-ministro Alves e outras três pessoas tornaram-se réus em ação penal que apura as supostas irregularidades no banco estatal, informou a assessoria de imprensa da Justiça Federal do Distrito Federal.

Tanto Cunha quanto Alves já tiveram seus nomes citados na Operação Lava Jato, que investiga um bilionário esquema de corrupção na Petrobras.

Cunha, que teve o mandato parlamentar cassado em setembro, está preso em Curitiba, onde se concentram os processos da Lava Jato em primeira instância, acusado de ser um risco às investigações da operação.

Ele já é réu em outras duas ações penais, ambas ligadas à Lava Jato, uma que tramita em Curitiba e outra que corre no Tribunal Regional Federal da 2ª Região, sediado no Rio de Janeiro.

Homem próximo do presidente Michel Temer, também do PMDB, Alves foi ministro do Turismo da ex-presidente Dilma Rousseff e voltou a ocupar o cargo no governo Temer, pedindo demissão do posto em meio à citação de seu nome por um delator da Lava Jato.

As defesas dos dois ex-presidentes da Câmara não foram encontradas para comentar a aceitação da denúncia.

LEIA TAMBÉM:

- PF investiga se Cunha foi beneficiado em varredura antigrampo

- A improvável delação de Eduardo Cunha

- 'Quero falar, eu vou falar'. Preso, Cunha contrata advogado de delatores