MUNDO

Hillary, Trump e... Maconha! 9 estados dos EUA vão votar pela legalização da droga

24/10/2016 16:41 -02 | Atualizado 24/10/2016 16:41 -02

marijuana pot shop

Como é costume nos Estados Unidos, no próximo dia 8 de novembro, eleitores americanos vão decidir como seus respectivos estados vão caminhar para os próximos anos. Teremos votos para o Senado e para presidente (Hillary Clinton, Donald Trump ou algum candidato independente), após uma das campanhas mais quentes das últimas décadas.

Mas há também outros tipos de decisões. Aproveitando a presença nas seções de votação, 9 estados querem saber de seus eleitores: Vamos legalizar a maconha?

Em cinco estados - Arizona, Califórnia, Maine, Massachusetts e Nevada - a pergunta é sobre a legalização da maconha para uso recreativo. Ou seja: se os moradores e turistas poderão comprar a planta para uso sem qualquer relação possíveis tratamentos, como já acontece no Colorado, Oregon e no estado de Washington (não confundir com a capital federal).

Além dos estados tradicionalmente liberais pensando na liberação para o uso recreativo, outros quatro estados tradicionalmente conservadores - Arkansas, Flórida, Montana e North Dakota - querem saber como seus eleitores se posicionam frente a legalização para o uso medicinal, o que já acontece em mais da metade do país.

O caminho dos estados liberais e conservadores no caminho da legalização da maconha expõe mudanças na forma de pensar dos eleitores de uma maneira bastante consistente quando o assunto é maconha. O uso e a posse de maconha já descriminalizado em praticamente todo o país. E a ideia da legalização é cada vez mais aceita pela população em geral.

De acordo com uma recente pesquisa do Pew Research Center - prestigiado centro de pesquisas do país -, 57% dos adultos do país apoiam a legalização. Para se ter uma ideia, há 10 anos, eram 32%.

Poder das experiências e o fator Califórnia

marijuana california

Dispensário, a "loja" da maconha medicinal na Califórnia

"Não há nada mais poderoso quando você quer mudanças sociais do que ter exemplos por aí que estão funcionando". A fala é de Keith Stroup, fundador e conselheiro da rede sem fins lucrativos National Organization for the Reform of Marijuana Laws (NORML), em entrevista à NBC News.

Para ele, outra explicação para o aumento do sentimento de que a maconha deve ser legalizada nos EUA é que o medo de que a legalização traria "simplesmente não se materializaram".

Entre os novos estados a entrarem em algum nível de legalização, Califórnia e Flórida surgem como as "joias da coroa". Os californianos já decidiram décadas atrás sobre o uso medicinal - aprovado em 1996 -, mas só agora, 20 anos depois, a transformação da planta em um ativo de mercado pode tornar-se realidade.

"As California goes, so goes the Nation". Um velho ditado retrata o peso do mais populoso - são 38,8 milhões - e mais poderoso estado americano representa para o país.

Desta vez, o Golden State pode dar um empurrãozinho para a total legalização da droga, ainda longe de atingir a Casa Branca. Veremos o que as urnas nos revelam nas próximas semanas. É que elas podem mudar as coisas para sempre.

marijuana california

Washington, Oregon e Colorado, os pioneiros da maconha recreativa legalizada

Os usuários de maconha mais influentes nos EUA

LEIA TAMBÉM:

- Importar poucas sementes de maconha não é tráfico, aponta MPF

- E não é que tem uma plantação de maconha na propaganda da Adidas?

- Guerra às drogas prende um americano a cada 25 segundos. E isto é ridículo

- Nos EUA, impostos da maconha vão para combate ao bullying nas escolas