NOTÍCIAS

18 livros infantis para falar de emoções com os seus filhos

12/10/2016 08:53 -03

harvey

Ilustração de 'Harvey - Como me Tornei Invisível'

Desempenho, produtividade e assimilação de conceitos parecem nortear a educação das crianças no Brasil, principalmente quando o objetivo final é passar em concorridíssimos vestibulares e entrar em uma prestigiada universidade.

Por trás das aparentes objetividade e concentração convocadas para atingir esse resultado, escolas, pais, professores e alunos precisam lidar com a imprevisibilidade e os graves estragos do bullying, que atinge uma porção fundamental e bastante negligenciada dos seres humanos: as emoções.

Enquanto continuarmos ignorando o papel decisório das emoções na vida de cada sujeito, mais perguntas ficarão sem resposta ou incompreensíveis, principalmente diante das dificuldades que a vida certamente vai trazer.

Em pleno 2016, temos acesso a informações e experiências como nunca tivemos antes, e expressar emoções permanece carregado de sentido negativo. Em um ano tão decisivo para a política nacional como este, ainda ouvimos frases como "apelar para o emocional" ao se referir à atitude de lideranças perante algum desafio profissional. Se um sujeito faz uso do seu emocional, então ele "apela"? Se expressar emoções é visto com maus olhos ou despreparo, como seremos capazes de reconhecê-las e lidar com seus desdobramentos mais extremos, como uma depressão?

Conversar com crianças sobre emoções deveria ser tão natural quanto assegurar a vacinação, recomendar que se beba bastante água ou desenvolver o hábito de lavar as mãos antes das refeições. Mas, justamente por não ser incentivado, falar de raiva, tristeza, egoísmo, ódio, ressentimento, inveja ou empatia, por exemplo, não é das missões mais simples.

Felizmente, a arte, por meio da literatura, pode dar uma inestimável ajuda. O HuffPost Brasil separou 18 livros para falar de emoções com crianças e adolescentes:

  • Ernesto
    Divulgação/Companhia das Letrinhas
    Blandina Franco Ilustrações de José Carlos Lollo Companhia das Letrinhas Emoções trabalhadas: solidão, tolerância com a diferença, o efeito das fofocas, preconceito Dos mesmos autores de Quem Soltou o Pum, Ernesto trabalha as diferenças e as possíveis maneiras de se lidar com ela, sendo que uma, infelizmente bastante frequente, é a exclusão. Com um personagem “esquisito”, isolado por ser diferente, o livro propõe que se pense sobre o que é dito sobre outras pessoas e se Ernesto merece mesmo toda essa solidão. Leitura essencial para o momento de opiniões polarizadas e radicais que vivemos.
  • Tromba Tromba
    Divulgação/Pequena Zahar
    David McKee Pequena Zahar Emoções trabalhadas: preconceito, tolerância, violência, respeito à diversidade Considerado um clássico da literatura infantil inglesa, Tromba Tromba oferece uma lição sobre preconceito e tolerância das diferenças a partir da história de elefantes que se rivalizam na selva.
  • Harvey – Como me Tornei Invisível
    Divulgação/Pulo do Gato
    Hervé Bouchard Ilustrações de Janice Nadeau Pulo do Gato Emoções trabalhadas: perda, saudade, luto, dor O garotoHarvey fica sem chão quando o pai morre e precisa lidar com uma série de sentimentos desconhecidos, dolorosos e desoladores. Uma delicada narrativa sobre a importância do luto
  • Menina Amarrotada
    Divulgação/Jujuba
    Texto e ilustrações de Aline Abreu Jujuba Emoções trabalhadas: amor, perda, saudade, raiva, tristeza Com sensibilidade, este livro mostra a história de Aline e o dia em que seu pai, acostumado a viajar, se vai. Na medida em que os sentimentos desta perda vão surgindo, ela vai ficando amarrotada pelo vento. O que é isso que ela sente e que a modifica a cada vez?
  • Divertida Mente – Emoções no Comando
    Divulgação/Melhoramentos
    Disney Melhoramentos Emoções trabalhadas: alegria, tristeza, raiva, nojo e medo Baseado no filme homônimo e vencedor do Oscar de Animação, o livro traz ilustrações e miniaturas dos personagens que representam emoções humanas, como a Alegria, a Tristeza, a Raiva e o Nojinho.
  • Declaração de Amor
    Divulgação/Galocha
    José Enrique Barreiro Ilustrações de Jana Glatt Galocha Emoções trabalhadas: amor, admiração, gratidão O livro é um delicado poema sobre o afeto, a admiração, o carinho e as diversas e particulares formas de se dizer que se gosta de alguém. A obra em si é fruto do amor de uma filha pelo pai. Alice Galeffi, diretora da editora que publica o livro, encontrou um poema escrito por seu pai muitos anos antes. Emocionada, foi em busca de Jana Glatt, que traduziu em imagens a sensibilidade paterna
  • O Medo e Seus Disfarces
    Divulgação/Sinopsys
    Marina Gusmão Caminha Ilustrações de Rodrigo Nunes Sinopsys Emoções trabalhadas: medo, solidão, compreensão, preservação, ansiedade Medo do escuro, de bicho-papão, da separação dos pais. Pedir que uma criança ignore o medo não faz com que ele desapareça ou alivie o transtorno que causa. Neste livro, o medo não é só reconhecido como ganha corpo, rosto e voz, ou seja, é validado. Assim como as emoções agradáveis, o medo faz parte da vida de todas as pessoas, e as crianças podem fazer grandes descobertas sobre si e o mundo a partir dele
  • George
    Divulgação/Galera Junior/Grupo Editorial Record
    Alex Gino Tradução de Regiane Winarski Galera Junior/Grupo Editorial Record Emoções trabalhadas: aceitação, compreensão, respeito, empatia Quem olha para George pensa ver um menino, mas ela tem a certeza de que é uma menina, que nem pensa em namoro ainda e gosta de colecionar revistas femininas. E uma narrativa centrada na escola e na casa da protagonista, o livro traz questões de gênero para o universo adolescente e escolar e mostra a perspectiva de George, que se incomoda ao ser visto pelos outros como menino. A reflexão é mais do que atual, considerando as demonstrações de intolerância registradas em nossa sociedade e a pressão para que tais questões não sejam abordadas na escola
  • A Raiva
    Divulgação/Pequena Zahar
    Blandina Franco Ilustrações de José Carlos Lollo Pequena Zahar Emoções trabalhadas: raiva, paciência Mais uma vez Blandina Franco e José Carlos Lollo se unem para mostrar às crianças o valor dos sentimentos – e como lidar com eles. Como o nome sugere, A Raiva traz essa emoção non-grata, mas inerente ao ser humano. A questão é qual espaço devemos dar a ela em nossa vida, e o quanto vamos deixa-la crescer em nosso dia a dia.
  • Teimosinha
    Divulgação/Melhoramentos
    Fabrício Carpinejar Ilustrações de Guto Lins Melhoramentos Emoções trabalhadas: tristeza, sufocamento, superproteção No livro conhecemos as inusitadas emoções de Lucila, que nos conta por que o aniversário é o dia mais triste da vida dela. Em um relato poético, descobrimos que ela é superprotegida pelos pais que, de tanto amá-la, acabam não deixando que ela faça as próprias escolhas.
  • Mari e as Coisas da Vida
    Divulgação/Pulo do Gato
    Tine Mortier Ilustrações de Kaatje Vermeire Pulo do Gato Emoções trabalhadas: saudade, perda, cumplicidade Mari é uma garota bastante sensível e tem muita cumplicidade com a avó. Mas a senhora adoece, perde a capacidade de se mover e de se expressar. A garotinha é a única capaz de compreendê-la, e o leitor acompanha essa bela história de amor e adaptação à velhice pelos olhos e sentimentos de Mari
  • Acredite!
    Divulgação/Guarda-Chuva
    André Bello e Ana Helena Behring Bello Guarda-Chuva Emoções trabalhadas: otimismo, empatia, solidariedade Um pai, em parceria com sua filha, que na época tinha 9 anos, criaram um livro de atividades para estimular sonhos que transformem o mundo, despertando em crianças e adolescentes a importância de não se pensar apenas no próprio benefício. O leitor é convidado para escrever, recortar, desenhar no próprio livro e a formular perguntas sobre otimismo, criatividade e colaboração. A publicação dá também dicas para estimular cada um desses potenciais, incluindo exercícios de meditação, desenho e trabalho em grupo. Para crianças a partir dos 6 anos, com orientação dos pais ou professores
  • A Princesa Imperfeita: Autoestima e Imagem Corporal
    Divulgação/Sinopsys
    Gabriela Salim Xavier Moreira, Sebastião Sousa Almeida e Carmem Beatriz Neufeld Ilustrações de Mauro Cézar Freitas Sinopsys Emoções trabalhadas: autoestima, resiliência, felicidade, bem-estar, autoconfiança Voltado para crianças de 6 a 10 anos, A Princesa Imperfeita traz uma discussão sobre autoimagem em uma época em que a aparência é supervalorizada e a autoestima é bastante afetada pelos padrões estéticos empurrados pela cultura. Aline, a protagonista do livro, queria ser a principal dançarina do festival de balé, mas é recusada por ser gordinha
  • Quando Sinto Inveja
    Divulgação/Ciranda Cultural
    Trace Moroney Ciranda Cultural Emoções trabalhadas: inveja A inveja nos leva a pensar que a grama do vizinho é mais verde que a nossa. Um coelhinho fofo mostra como lidar com esse sentimento que desperta em nós atitudes pouco legais.
  • A Parte que Falta
    Divulgação
    Texto e ilustrações de Shel Silverstein Cosac Naify Emoções trabalhadas: felicidade, otimismo, angústia, frustração Com muita simplicidade e delicadeza, o americano Shel Silverstein fala de nossa busca por felicidade e completude, mostrando que a busca pode ser mais deliciosa que o resultado, e levando os pequenos a pensarem, com bastante leveza e despretensão, nas relações, nas pessoas ao redor e na nossa capacidade de ser feliz por conta própria, sem esperar pelo outro
  • Roupa de Brincar
    Divulgação/Pulo do Gato
    Eliandro Rocha Ilustrações de Elma Fonseca Pulo do Gato Emoções trabalhadas: tristeza, perda, alegria Uma menina passa horas se divertindo no guarda-roupas da tia, brincando com as roupas diferentes. Certo dia, percebe que a tia está diferente, suas roupas não têm nenhuma graça e seu guarda-roupa está quase vazio
  • A Panqueca de Nina
    Divulgação/Biruta
    Texto e ilustrações de Yin Chien Biruta Emoções trabalhadas: admiração, autoestima Em belas ilustrações, Yin Chien traz a história de Nina, uma garotinha que tem muita admiração pela irmã mais velha e quer ser exatamente como ela. Mas a protagonista percebe que ser igual à irmã não é possível e que ela pode ser um sucesso do jeito dela
  • Errar Faz Parte, Perdoar Faz Bem: Ensinando Crianças a Desenvolver Compaixão
    Divulgação/Sinopsys
    Aline Henriques Reis e Carmem Beatriz Neufeld Ilustrações de Mauro Cézar Freitas Sinopsys Emoções trabalhadas: empatia, compaixão, paciência, culpa, tolerância, vulnerabilidade Com leitura leve e indicada para crianças de 6 a 10 anos, as autoras discutem a culpa e o sofrimento gerados por um erro, além de falar dos benefícios do perdão. O protagonista é Juninho, um menino que não se permite errar e sofrer

LEIA MAIS:

- 11 livros infantis que discutem gênero e orientação sexual (FOTOS)

- Escolas ensinam a lidar com as emoções

- Sofrimento todos nós temos, mas fazer terapia ainda é um grande tabu