NOTÍCIAS

Após tiroteio em UPP, Beltrame pede demissão da secretaria de segurança do Rio

11/10/2016 11:45 -03 | Atualizado 11/10/2016 11:45 -03
Brazil Photo Press/CON via Getty Images
RIO DE JANEIRO, BRAZIL – MAY 31: Secretary of Security José Mariano Beltrame at the opening of the first phase of the Center of Command and Control on May 31, 2013 in Rio de Janeiro, Brazil. (Foto por Marcelo Fonseca/Brazi l Photo Press/LatinContent/Getty Images)

O secretário de segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, pediu demissão do cargo. Ele entregou a carta de saída ao governador interino Francisco Dornelles e ao governador licenciado, Luiz Fernando Pezão. Segundo o jornal O Globo, a decisão já era cogitada há mais de dois anos. No entanto, o tiroteio nas UPPs Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, na última segunda-feira, acabou acelerando a saída de Beltrame.

A guerra na zona sul durou mais de duas horas e acabou com um comandante da Polícia Militar da UPP ferido. A saída de Beltrame foi confirmada pela Secretaria, que informou que o atual secretáro fica no cargo até o fim do segundo turno das eleições de 2016.

Gaúcho, de Santa Maria, José Mariano Beltrame está na Secretaria de Segurança desde 2007. Beltrame foi responsável por criar e implantar todas as Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) no Rio de Janeiro, que assumiu a segurança em diversas comunidades no Rio de Janeiro.

Com a crise econômica do Rio de Janeiro, a pasta de Segurança do Rio de Janeiro sofreu com a falta de recursos nos últimos anos. Beltrame, inclusive, já havia reclamado publicamente da situação do Estado. "Já pensei várias vezes em largar o cargo", disse o secretário em junho deste ano, antes da Olimpíada do Rio 2016.

O cotado para assumir o cargo é o subsecretário de Planejamento e Integração Operacional, Roberto Sá.

Novo secretário

O sucessor cotado para substituir Beltrame, Roberto Sá, é de Barra do Piraí, no Vale do Paraíba. Sá é formado em Direito pela PUC-Rio e começou a carreira na polícia na Escola de Formação de Oficiais da Polícia Militar, em 1983. Conseguiu todas as promoções até o posto de tenente-coronel e, depois, ingressou na Polícia Federal.