NOTÍCIAS

Juiz de Santa Catarina manda bloquear Facebook por 24 horas em todo o Brasil

10/10/2016 11:40 BRT | Atualizado 10/10/2016 11:40 BRT
Dado Ruvic / Reuters
A man poses with a magnifier in front of a Facebook logo on display in this illustration taken in Sarajevo, Bosnia and Herzegovina, December 16, 2015. REUTERS/Dado Ruvic/Illustration/File Photo GLOBAL BUSINESS WEEK AHEAD PACKAGE - SEARCH "BUSINESS WEEK AHEAD JULY 25" FOR ALL IMAGES

O Facebook eseve na mira da Justiça. O juiz eleitoral de Joinville, Renato Roberge, ordenou que todas as operadoras suspendam as atividades da rede social por um prazo de 24 horas.

Como já ocorreu com o WhatsApp, a suspensão é forma de uma punição por uma ordem que não foi cumprida pela empresa. O Facebook já informou que cumpriu a decisão.

A rede social havia se recusado a deletar um perfil falso chamado Hudo Caduco, que satiriza Udo Döhler, candidato a prefeito do município de Joinville pelo PMDB.

O perfil, que tinha diversas postagens que "afetam a honra e imagem" do candidato, já havia sido denunciado, mas permanecia ativo. Além de derrubar a página, o juiz também pediu a identificação dos IPs dos responsáveis e estabeleceu uma multa de R$ 30 mil por dia de descumprimento da decisão.

O documento foi enviado em cópia para a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), pedindo que ela ordene o bloqueio do Facebook às operadoras.

Procurado pelo HuffPost Brasil, o Facebook informou que já deletou o perfil antes do final do prazo e que, portanto, não receberá as punições. "O Facebook tem profundo respeito pelas decisões da justiça brasileira e cumpriu a ordem judicial dentro do prazo estabelecido", divulgou, em nota.