NOTÍCIAS

Das 10 profissões que pagam melhor, 6 são da 'elite' do funcionalismo público, diz pesquisa

10/10/2016 12:53 -03 | Atualizado 10/10/2016 12:53 -03
Uelder-ferreira via Getty Images
fifty reais on hands

Seis das dez categorias profissionais com os maiores salários do Brasil fazem parte da "elite" do funcionalismo público, que são promotores, procuradores e juízes.

O ranking, publicado no jornal O Estado de S. Paulo, foi elaborado pelo pesquisador do IBRE/FGV, José Roberto Afonso, com base no relatório "Grandes Números", divulgado pela Receita Federal a partir das declarações do IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) de 2015, baseado nos valores de 2014.

Além de seis profissões pertencerem ao funcionalismo público, o titular de cartório, que é uma concessão pública, lidera o ranking. Na média, o rendimento anual apresentado na declaração do dono do cartório fica em torno de R$ 1,1 milhão.

O que chama atenção é a concentração de riqueza desta categoria: os 9.409 declarantes possuem um total de rendimentos de R$ 10,7 bilhões. O montante é praticamente igual ao do terceiro lugar da lista, dos membros do Poder Judiciário e de Tribunal de Contas, mas com uma diferença: o terceiro lugar possui mais que o dobro de declarantes do que o primeiro colocado do ranking.

Atrás do titular de cartório, o segundo lugar o membro do Ministério Público (procurador e promotor), com um rendimento médio anual de R$ 527,6 mil. Ele é seguido pelo membro do Poder Judiciário e de Tribunal de Contas, que tem rendimento de R$ 512 mil por ano, diplomata (R$ 332,1 mil) e médico (R$ 304,6 mil).

1. Titular de cartório

Rendimento médio da categoria: R$ 1,1 milhão

Declarantes: 9.409

Total de rendimento: R$ 10,7 bilhões

2. Membro do Ministério Público (Procurador e Promotor)

Rendimento: R$ 527,6 mil

Declarantes: 13.966

Total de rendimentos: R$ 7,4 bilhões

3. Membro do Poder Judiciário e Tribunal de Contas

Rendimento: R$ 512 mil

Declarantes: 20.633

Total de rendimentos: R$ 10,6 bilhões

4. Diplomata

Rendimento: R$ 332,1 mil

Declarantes: 2.675

Total de rendimentos: R$ 900 milhões

5. Médico

Rendimento: R$ 304,6 mil

Declarantes: 331.988

Total de rendimentos: R$ 101,1 bilhões

6. Advogado do setor público, procurador da Fazenda, consultor jurídico

Rendimento: R$ 284,1 mil

Declarantes: 27.538

Total de rendimentos: R$ 7,8 bilhões

7. Servidor das carreiras do Banco do Brasil, CVM, e superintendente de Seguros Privados

Rendimento: R$ 269,3 mil

Declarantes: 5.478

Total de rendimentos: R$ 1,5 bilhão

8. Servidor das carreiras de auditoria fiscal e de fiscalização

Rendimento: R$ 264,9 mil

Declarantes: 68.496

Total de rendimentos: R$ 18,1 bilhões

9. Piloto de aeronaves, comandante de embarcação e oficiais de máquina

Rendimento: R$ 252,6 mil

Declarantes: 12.349

Total de rendimentos: R$ 3,1 bilhões

10. Atleta e desportista

Rendimento: R$ 219,4 mil

Declarantes: 6.030

Total de rendimentos: R$ 1,3 bilhão

Como o ranking é baseado nos valores declarados no Imposto de Renda de Pessoa Física, algumas categorias não estão na lista porque alguns de seus rendimentos são isentos ou a mordida do leão é menor, como é o caso de empresários e executivos, que têm parte dos ganhos não tributável, como participação de lucros e dividendos, ou que recebem como pessoa jurídica.

LEIA MAIS:

- CCJ do Senado aprova aumento de 16,3% de salário para procurador-geral da República

- Professores no Brasil ganham menos que outros profissionais com a mesma formação