NOTÍCIAS

Um dia após eleição, Doria já não garante congelar passagens de ônibus

04/10/2016 11:19 -03 | Atualizado 04/10/2016 11:19 -03

joao doria

Antes de confirmar-se como o primeiro prefeito na história de São Paulo a ser eleito em primeiro turno, João Doria (PSDB) prometeu, durante a campanha, que não haveria "em hipótese alguma", como informa o jornal O Estado de S. Paulo, aumento de passagens de ônibus durante um possível mandato.

Ontem à noite, em entrevista a jornalistas, o tom foi diferente, conforme reportagem da rádio CBN, que esteve por lá. O prefeito, agora eleito, garante que haverá aumento de impostos e vai congelar as tarifas de ônibus apenas para 2017.

"Cada dia com a sua agonia. Vamos falar do primeiro ano. No primeiro ano, nenhuma mudança. Eu preciso estar vivo também, vamos devagar. Não posso responder por quatro anos. Posso responder por este primeiro ano. Não vamos mexer na tarifa".

Doria tem hoje 25 das 55 cadeiras de vereadores na Câmara Municipal, o que não lhe garante maioria. O político do PSDB garante que não vai entrar em trocas de cargos para garantir apoio. "Não vamos fazer partilha. Não tem jogo perigoso, nem toma lá da cá".

Doria garantiu que não será candidato à reeleição e pretende ficar no cargo por apenas quatro anos. A maior prioridade como novo prefeito vai ser colocar em prática sua principal promessa de campanha, o Corujões da Saúde, onde 40 hospitais privados atenderiam pacientes do sistema público entre as 20h e 8h. Ele promete que vai haver transporte público para os pacientes durante o período.