NOTÍCIAS

Derrotado no primeiro turno, Haddad diz que deixa Prefeitura de São Paulo com sensação de 'dever cumprido'

02/10/2016 21:32 -03 | Atualizado 02/10/2016 21:32 -03
Brazil Photo Press/CON via Getty Images
SAO PAULO, BRAZIL - SEPTEMBER 27: Mayor and candidate for reelection, Fernando Haddad (PT), talks during campaign event held at Casa de Portugal in Freedom in Sao Paulo, Brazil on September 27, 2016. (Photo by Levi Bianco/Brazil Photo Press/LatinContent/Getty Images)

O prefeito Fernando Haddad (PT) ligou para o candidato João Doria (PSDB) na noite deste domingo (2) para cumprimentá-lo pela vitória no primeiro turno nas eleições municipais de 2016. "Coloquei toda a equipe da prefeitura, começando por mim, a inteira disposição para nós efetuarmos a melhor transição possível", afirmou Haddad.

"Num país onde a gente vê fragilizadas as instituições republicanas eu penso que nós temos que dar o exemplo e fortalecer as instituições, e uma das instituições que eu mais prezo são as transições de governo. isso revela espírito público, respeito a democracia, respeito ao resultado das urnas e ao voto popular", afirmou o petista durante coletiva no diretório municipal do partido.

O petista creditou a derrota no primeiro turno à falta de "igualdade de condições" na campanha política. "Defender um projeto de transformação em condições tão adversas foi bastante difícil para a nossa campanha (...). Mesmo na eventualidade de derrota no segundo turno, a cidade teria ganho em termos de aprendizado se esse projeto tivesse sido debatido em igualdade de condições", disse Haddad.

O empresário João Doria (PSDB) liderou o ranking de arrecadação entre os candidatos à capital paulista. Ele mesmo tirou do próprio bolso pouco mais de R$ 1,634 milhão para aumentar suas chances de ser eleito, segundo dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O resultado pôde ser visto nas propagandas eleitorais de Doria.

Ex-ministro da Educação, Haddad disse ainda que deixa a prefeitura "com a mesma sensação de dever cumprido" de quando deixou a pasta, em 2012. "Estamos deixando a dívida resolvida, plano diretor, lei de saneamento, tudo isso muito bem encaminhado. Tenho certeza que a vida dos prefeitos daqui pra frente será melhor que foi a minha até aqui, mas é pra isso que serve uma boa administração", concluiu.