NOTÍCIAS

François Hollande confirma fechamento do campo de refugiados em Calais e pede ajuda britânica

26/09/2016 16:35 -03 | Atualizado 26/09/2016 16:35 -03
Yves Herman / Reuters
A young asylum seeker rests in the arms of her mother outside the foreign office in Brussels, Belgium September 3, 2015. Europe has seen a huge influx of migrants from the Middle East and Africa trying to escape poverty and violence at home and the issue has shot to international prominence as thousands try to make their way to Britain from the French port of Calais. Some 2,300 people requested asylum in Belgium in June alone, up by a third from May, official figures show. The Belgian government has offered housing for 2,500 extra applicants. REUTERS/Yves Herman

O presidente francês, François Hollande, disse nesta segunda-feira (26) que a França irá fechar por completo o campo de refugiados em Calais e pediu ajuda do governo britânico para lidar com a situação de milhares de pessoas que sonham em chegar ao Reino Unido.

"A situação é inaceitável e todos aqui sabem disso", disse Hollande durante visita à cidade portuária onde até 10 mil refugiados e imigrantes de países como Síria, Iraque e Afeganistão vivem em condições precárias.

"Precisamos desmontar o acampamento completa e definitivamente", disse.

A França planeja transferir os moradores do local em pequenos grupos para outros pontos ao redor do país, mas a oposição de direita acusa o líder socialista de má administração de um problema, que, em última análise, seria britânico.

Os imigrantes querem alcançar o Reino Unido, mas o governo em Londres argumenta que aqueles que buscam asilo precisam fazê-lo, sob as leis da União Europeia, no país de entrada.

A imigração foi uma das principais questões para a escolha do Reino Unido de deixar a União Europeia, anteriormente neste ano. O assunto também deve ser um grande fator na eleição presidencial francesa.

LEIA MAIS:

- O drama dos refugiados e o nascimento da empatia

- Temer erra na ONU: Presidente confunde dados de refugiados e é alvo de críticas

- 'Nós Não Temos Medo': Campanha de refugiados tem apoio de mais de 175 artistas