NOTÍCIAS

Réu pela 2ª vez: Moro aceita denúncia do Ministério Público Federal contra Lula

20/09/2016 18:02 -03 | Atualizado 20/09/2016 18:02 -03
Brazil Photo Press/CON via Getty Images
BRASILIA, BRAZIL - AUGUST 29: Former Brazilian President Luiz Inacio Lula da Silva attends the impeachment trial for suspended Brazilian President Dilma Rousseff on the Senate floor on August 29, 2016 in Brasilia, Brasil. Senators will vote in the coming days whether to impeach and permanently remove Rousseff from office. (Photo by Ricardo Botelho/Brazil Photo Press/LatinContent/Getty Images)

O juiz federal da 13ª Vara Federal de Curitiba Sérgio Moro aceitou a denúncia de corrupção e lavagem de dinheiro contra do ex-presidente Luiz Inacio Lula da Silva e o tornou réu no âmbito da Operação Lava Jato.

Moro também aceitou a denúncia contra a mulher de Lula, Marisa Letícia, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro, Agenor Franklin Magalhães Medeiros, Fábio Hori Yonamine, Paulo Roberto Valente Gordilho e Roberto Moreira Ferreira. Todo envolvidos no recebimento e repasses de recursos ilegais, que envolvem a empresa OAS e dinheiro desviado da Petrobras.

No despacho, o juiz afirma que Lula "seria beneficiário direto das vantagens concedidas pelo Grupo OAS e, segundo a denúncia, teria conhecimento de sua origem no esquema criminoso que vitimou a Petrobras".

Esta é a segunda vez que Lula se torna réu. Em julho, a Justiça do Distrito Federal aceitou a denúncia contra ele sob a acusação de tentar obstruir as investigações da operação. Na ocasião, além de Lula, o senador cassado Delcídio do Amaral e outras quatro pessoas se tornaram rés por tentar impedir o ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró de assinar acordo de delação premiada.

Acusação

Na última quarta-feira (14), Lula foi denunciado pelo Ministério Público Federal por ter recebido R$ 3,7 milhões de propina da OAS. O repasse foi feito por meio de upgrade em imóveis, reforma e decoração de um tríplex, além do armazenamento de bens do ex-presidente pela empreiteira.

Na apresentação da denúncia, o petista foi identificado como “comandante máximo do esquema de corrupção” e "verdadeiro maestro dessa orquestra criminosa", de acordo com o procurador da República Deltan Dallagnol. Ele afirmou ainda que Lula instituiu a propinocracia: uma governabilidade corrompida por meio da distribuição de propina.

A decisão dos procuradores foi embasada nas delações premiadas do ex-deputado do PP Pedro Correa, do ex-diretor de Internacional Nestor Cerveró e do senador cassado Delcídio do Amaral (ex-PT).

Os advogados de Lula negam as acusações.

LEIA TAMBÉM:

- Partido dos Trabalhadores vai usar discurso de perseguição a Lula para se fortalecer

- Em cinco anos, patrimônio de Lula saltou de R$ 1,9 mi para R$ 8,8 mi

-Tom da denúncia contra Lula incomodou até integrantes do Planalto