MUNDO

Papa Francisco diz que Brasil vive 'momento triste' e não sabe se virá ao país em 2017

03/09/2016 19:21 -03 | Atualizado 03/09/2016 19:21 -03
arkhangellohim/Flickr
Francisco (en latín, Franciscus PP.), de nombre secular Jorge Mario Bergoglio (Buenos Aires, Argentina, 17 de diciembre de 1936), es el 266.° y actual papa de la Iglesia católica y jefe de Estado de la Ciudad del Vaticano. Fue elegido el 13 de marzo de 2013 por los miembros del Colegio Cardenalicio, tras la renuncia al cargo de Benedicto XVI, en la quinta votación efectuada durante el segundo día de cónclave. Es el primer pontífice originario del continente americano, el primero del hemisferio sur, el primer hispano desde Alejandro VI y el primero no europeo desde 741, año en el que falleció el sirio Gregorio III. Además es el primero perteneciente a la Compañía de Jesús. Tras la muerte del papa Juan Pablo II el 2 de abril de 2005, fue considerado uno de los candidatos a ocupar el lugar del sumo pontífice,6 cargo para el que fue elegido finalmente Joseph Ratzinger, quien adoptó el nombre papal de Benedicto XVI. Fue presidente de la Conferencia Episcopal Argentina durante dos períodos. Impedido por el estatuto de asumir un nuevo mandato, durante la 102.ª asamblea plenaria de ese organismo se eligió al arzobispo de la arquidiócesis de Santa Fe de la Vera Cruz, José María Arancedo, para sucederlo. Francisco habla fluidamente su español materno, latín, italiano, alemán, francés e inglés. Wikipedia—Papa Francisco [ <a href="http://ow.ly/j9f25" rel="nofollow">ow.ly/j9f25</a> ]

Três dias após o impeachment de Dilma Rousseff, o papa Francisco disse neste sábado (3) que o Brasil atravessa um "momento triste" e afirmou que provavelmente não visitará o país em 2017, como havia cogitado.

"Estou contente que a imagem de Nossa Senhora Aparecida esteja nos jardins. Em 2013, eu tinha prometido voltar ao Brasil. Não sei se será possível, mas, pelo menos, agora terei [a santa] mais perto de mim", disse durante a inauguração de uma estátua de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do país, nos Jardins Vaticanos, em Roma.

Em seguida, o papa convidou as pessoas a rezarem "para que Nossa Senhora Aparecida siga protegendo todo o Brasil, todo o povo brasileiro, neste momento triste".

No início de agosto, o papa enviou à petista uma carta de apoio. "Não foi uma carta oficial (…) Não foi uma carta do papa em sua condição de representante do Vaticano. Não tem importância [o conteúdo]. Não é uma carta para ser divulgada", disse Dilma à época.

Em maio, Francisco recebeu no Vaticano a atriz Letícia Sabatella, que lhe entregou um documento contra o impeachment redigido pelo advogado Marcello Lavenére.

Dilma e o papa se reuniram pela primeira vez em 2013, quando ele visitou o Brasil para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), no Rio de Janeiro, em sua primeira viagem internacional.

Em fevereiro do ano seguinte, a petista esteve em Roma para a cerimônia que oficializou dom Orani Tempesta como cardeal.

LEIA TAMBÉM

- Três dias após impechment, ministro da Justiça troca 19 dos 25 membros da Comissão da Anistia

- Temer após protestos contra o impeachment: 'Não foi uma manifestação democrática'

- 'Não acabou, tem que acabar, eu quero o fim da Polícia Militar', bradam manifestantes em SP