NOTÍCIAS

Amigos ou rivais? Após encontro com Trump, líder do México chama candidato de 'ameaça'

01/09/2016 09:33 -03 | Atualizado 01/09/2016 09:33 -03
Anadolu Agency via Getty Images
MEXICO CITY, MEXICO - AUGUST 31 : President of Mexico Enrique Pena Nieto (L) and US Republican presidential candidate, Donald Trump attend a meeting at Los Pinos presidential residence, in Mexico City, Mexico on August 31, 2016. (Photo by Daniel Cardenas/Anadolu Agency/Getty Images)

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, classificou Donald Trump como uma ameaça ao país, poucas depois de mostrar uma imagem positiva em conversas entre os dois na quarta-feira (31) para tentar diminuir tensões sobre a campanha retórica antimexicanos do candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos.

O presidente Enrique Peña Nieto saudou na tarde de quarta como "aberto e construtivo" o encontro com Trump, que posteriormente se referiu ao líder mexicano como amigo e um "maravilhoso" presidente.

Mas em uma entrevista televisionada na noite de quarta-feira, Peña Nieto buscou se defender contra amplas críticas por sua decisão de convidar o candidato republicano, apesar de repetidos ataques verbais contra o México.

"Suas posições políticas podem representar uma grande ameaça ao México, e não estou preparado para ficar de braços cruzados e não fazer nada", disse Peña Nieto. "Este risco, esta ameaça, devem ser confrontados. Eu disse a ele que esta não é a maneira de construir uma relação benéfica mútua para ambas nações".

A rápida aceitação de Trump para um convite enviado na sexta-feira (26) tomou o governo do México de surpresa, e sua visita à Cidade do México ocorreu algumas horas antes de um importante discurso sobre imigração, à medida que busca diminuir a vantagem da rival democrata, Hillary Clinton, nas pesquisas.

As acusações de Trump de que o México envia estupradores e traficantes aos Estados Unidos, e suas ameaças de construir um muro na fronteira e quebrar acordos comerciais, irritaram o governo, mas seu encontro com Peña Nieto na quarta-feira lhe deu a chance de se apresentar com tom mais moderado.

Ele falou sobre mexicanos-americanos em bons termos e destacou áreas de interesse comum entre os dois países, mesmo enfatizando a mensagem de que irá construir um muro.

Peña Nieto havia comparado Trump a ditadores como Adolf Hitler e Benito Mussolini anteriormente neste ano. Mas seu governo informou que Trump entendeu as preocupações no encontro, tornando a tensa aparição de Peña Nieto na TV ainda mais surpreendente.

Na noite de quarta-feira, em discurso em Phoenix após o encontro com o líder mexicano, Trump falou sobre uma série de medidas para diminuir a imigração ilegal.

Ele disse a uma multidão que o México deveria pagar "100 por cento" pelo muro e que caso ganhe a eleição, todos que moram ilegalmente nos Estados Unidos serão enviados de volta ao país natal. Isto iria refletir na saída de milhões de mexicanos.

LEIA MAIS:

- Se você é gay e apoia Trump, não se importa conosco

- Esta escritora previu o slogan de Donald Trump em livro de 20 anos atrás