NOTÍCIAS

Homenagem mais que justa! Judoca Rafaela Silva dá nome a escola no Rio de Janeiro

17/08/2016 18:22 -03 | Atualizado 17/08/2016 18:22 -03

rafaela silva

Rafaela Silva foi chamada de 'macaca' após ter sido eliminada das provas da Olimpíada de Londres, em 2012. Ela foi alvo de uma enxurrada de mensagens racistas após a competição. Este ano, a mesma atleta garantiu o primeiro ouro do Brasil nos Jogos após vencer as cinco lutas que disputou na categoria leve (até 57 kg).

Negra e lésbica, a judoca de infância pobre na Cidade de Deus foi ovacionada por sua conquista, não apenas por garantir o pódio, mas pelo simbólico da sua vitória em um país em que a desigualdade, o racismo e a violência de gênero ainda persistem.

Esta quarta-feira (17), Rafaela recebeu outra homenagem. Ela deu o nome a um Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) inaugurado pela Prefeitura do Rio em Magalhães Bastos, na Zona Oeste da cidade, que vai atender a 300 crianças, de seis meses a 6 anos de idade.

Ao G1, ela afirmou estar feliz com a homenagem, mas que o que ela espera é que instituições como esta possibilitem o desenvolvimento de "outras Rafaelas".

"Graças ao esporte, ganhei bolsas e pude estudar até a faculdade, além de ajudar minha família fazendo o que gosto. Mas a educação é importante também porque a carreira no esporte não é para a vida toda."

Após a inauguração, a atleta foi recebida com muito carinho pelas crianças presentes. Ela tem consciência que a sua história servirá de motivação e inspiração para tantos outros jovens em condições similares a sua e que sonham com o ouro olimpíco.

"É muito importante para mim servir como exemplo e esperança para essas crianças. Eu já fui uma delas, já abracei outras pessoas e o que eu puder passar sobre a importância do esporte na vida é válido."

LEIA MAIS:

- Rafaela Silva: Do racismo e depressão ao OURO olímpico na Rio 2016

- As 8 melhores respostas ao tuíte mais 'close errado' da Olimpíada

- A Rio 2016 é delas: Menções à Rafaela superam Neymar na web. Seleção feminina é mais vista que masculina na TV