LGBT

Nico Hines, jornalista que expôs atletas gays da vila olímpica, é retirado da cobertura da Olimpíada

15/08/2016 17:56 -03 | Atualizado 15/08/2016 17:56 -03

reporter homofobia

O jornalista Nico Hines, editor do portal The Daily Beast, foi retirado da cobertura da Olimpíada no Rio pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) neste domingo (14).

O motivo? Ele criou um perfil no aplicativo Grindr, voltado ao público LGBT, para mapear atletas que não são heteros na Vila Olímpica e marcar encontros falsos com eles.

Depois disso, Nico publicou o artigo Consegui três encontros no Grindr em uma hora na Vila Olímpica, no dia 8 de agosto.

Nele, o jornalista expôs não apenas a sexualidade dos atletas -- muitos deles não assumidos --, como reforçou o estereótipo de promiscuidade dos LGBTs, com frases como: "Um viveiro de atletas em festa, pegação, e sexo, sexo, sexo".

A atitude de Hines ficou marcada como uma "armadilha para retirar atletas do armário" e acabou muito criticada, já que, além da homossexualidade ser crime em muitos países, cabe apenas à pessoa decidir quando se sente a vontade para assumir-se não hetero.

No Twitter, Amini Fonua, nadador que está no Rio para os jogos e nasceu em Tonga, país onde os homossexuais são violentamente criminalizados, criticou ostensivamente o trabalho do jornalista.

"Imagine o único lugar que você consegue se sentir seguro, o único lugar que você pode ser quem você é, estragado por uma pessoa heteroseexual que acha que isso é brincadeira?"

Mas Hines não saiu impune.

O COI enviou, neste domingo (14), um e-mail ao Outsports, um site norte-americano voltado à atletas LGBTs, em que afirmou que a postura de Nico Hines é "absolutamente inaceitável". A organização ainda informou que o editor do Daily Beast não está mais cobrindo os Jogos Olímpicos no Rio.

O Daily Beast também excluiu o artigo do portal. já no dia 11 de agosto. Em seu lugar, foi colocado um pedido de desculpas sobre o ocorrido.

"O artigo não teve a intenção de prejudicar ou degradar membros da comunidade LGBT, mas intenções não importam, os impactos, sim. Nossa esperança é que, ao remover o artigo que está em conflito com nossos valores bem como com aos quais aspiramos como jornalistas demonstre quão seriamente levamos nosso erro"

Quanto a um pedido de desculpas de Nico? Ele não aparece nas redes desde do dia 10 de agosto, um dia antes de seu artigo se transformar em uma polêmica.

LEIA MAIS:

- Rio 2016: 13 atletas LGBT que brilham na Olimpíada

- Choro de alegria e orgulho! Diego Hypólito brilha em sua estreia na Rio 2016