POLÍTICA

Apesar de estar 'preparadíssimo', organização das Olimpíadas vai tentar abafar as vaias contra Temer

03/08/2016 17:12 -03 | Atualizado 03/08/2016 17:12 -03
Ueslei Marcelino / Reuters
Brazil's interim President Michel Temer reacts during a presentation ceremony of the Delegation of the Olympic Athletes at the Planalto Palace in Brasilia, Brazil July 13, 2016. REUTERS/Ueslei Marcelino

O presidente em exercício Michel Temer afirmou estar "preparadíssimo" para as possíveis vaias que podem ocorrer durante o seu pronunciamento na cerimônia de abertura das Olimpíadas 2016.

"Estou preparadíssimo para as vaias. No Maracanã, como dizia o Nelson Rodrigues, se vaia até minuto de silêncio. Estou preparadíssimo, não tenho a menor dúvida disso. E tenho de cumprir esse dever institucional. Aliás, eu soube que os ex-presidentes nem vão. A brincadeira é que eles estão reservando as vaias só para o presidente”, afirmou em entrevista ao Zero Hora.

Porém, a organização da cerimônia pretende dificultar que a manifestação do público presente seja reverberada. De acordo com a apuração da Folha, a equipe está preparando uma operação para abafar as vaias.

Após a fala do presidente em exercício, que deve durar 10 segundos, a estratégia é aumentar o som de uma música ou efeito sonoro de fundo no máximo volume no estádio. Assim, será difícil para as emissoras de televisão captar as manifestações.

A participação do presidente interino na abertura, que é uma tradição deste tipo de cerimônia, vai se restringir à frase "Declaro abertos os Jogos do Rio, celebrando a 31ª Olimpíada da era moderna".

Temer, contudo, não é o único que deve lidar com as vaias em momentos públicos como este. No jogo de estreia da Copa, em 2014, a presidente Dilma Rousseff foi xingada e vaiada no minimo quatro vezes. Lula também já foi vaiado em pleno Maracanã, na abertura dos Jogos Panamericanos.

LEIA MAIS:

- Temer pressiona e Renan antecipa votação do impeachment para dia 25

- Prestes a ser cassado, Eduardo Cunha prepara dossiê sobre aliados de olho em delação