NOTÍCIAS

Venezuela inicia referendo que pode revogar mandato de Nicolás Maduro

02/08/2016 09:32 BRT | Atualizado 02/08/2016 09:32 BRT
FEDERICO PARRA via Getty Images
Venezuelan President Nicolas Maduro delivers a speech during the signing of agreements with Russian oil company Rosneft's CEO, Igor Sechin (out of frame) at Miraflores presidential Palace in Caracas on July 28, 2016. / AFP / FEDERICO PARRA (Photo credit should read FEDERICO PARRA/AFP/Getty Images)

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela declarou a validade do recolhimento de assinaturas, correspondentes a 1% do padrão eleitoral, para convocar um referendo de revogação do mandato do presidente Nicolás Maduro.

"Os 24 estados cumpriram a exigência de 1% da manifestação de vontade" para solicitar o referendo, disse, em entrevista, o presidente do CNE, Tibisay Lucena.

Segundo dados divulgados por Lucena, foram apresentadas mais de 1,9 milhão de assinaturas. Segundo ela, as assinaturas foram verificadas pelo CNE, considerados os dados biométricos de cada eleitor inscrito.

"Foram recebidos 407.622 registros, 399.412 dos quais (98,04%) coincidiram com os da base de dados, 1.326 (0,33%) não coincidiram com a base de dados", o que significa que "a identificação biométrica não coincide com a pessoa que assinou o documento", disse Lucena.

Os promotores do referendo - a oposição Mesa da Unidade Democrática (MUD) - precisavam de pouco menos de 200 mil assinaturas para entrar na próxima fase, que deve reunir a vontade de 20% dos eleitores para iniciar o referendo.