MULHERES

Senador Telmário Mota é acusado de espancar jovem até que ela desmaiasse

27/07/2016 10:54 -03 | Atualizado 27/07/2016 10:54 -03
Anadolu Agency via Getty Images
CARACAS, VENEZUELA - JUNE 25: Brazilian senator Roberto Requiao (L) and Telmario Mota (R) are seen during a meeting in Caracas, Venezuela on June 25, 2015. (Photo by Carlos Becerra/Anadolu Agency/Getty Images)

O senador Telmário Mota (PDT-RR) é acusado pela estudante universitária Maria Aparecida Nery de Melo, de 19 anos, de espancamento. Segundo a vítima, foram chutes e socos que a fizeram desmaiar.

A jovem registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil de Boa Vista (RR) no último de 2015, de acordo com reportagem da Folha de S. Paulo.

Maria diz que manteve uma relação estável com o senador agressor por cerca de três anos e meio. E que passou a sofrer ameaças de morte. Em novembro do ano passado - pouco antes das agressões -, o senador chegou a sugerir a "agilização" de "todos os projetos de lei e outras proposições que digam respeito ao combate à violência contra a mulher e coloque na cadeia os agressores valentões".

A delegada Verlânia Silva de Assis, titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), afirma que ficou caracterizada "violência contra a mulher" e que as agressões foram confirmadas por exame de corpo de delito que apontou "múltiplas lesões" na cabeça, boca, orelha esquerda, região dorsal, braço direito e joelho esquerdo.

Ao jornal, o senador nega ter agredido a garota e ter mantido relacionamento amoroso com ela. "Não teve negócio de agressão, não existe isso, em nenhum momento, até porque não tenho nada com ela".

LEIA TAMBÉM:

- Mais uma vítima do feminicídio, jovem de 18 anos é morta por ex-namorado no Rio

- Lírio Parisotto ainda não entendeu que violência contra mulher é algo INJUSTIFICÁVEL

- Luiza Brunet rebate críticas: 'Antes de julgar, viva minhas tristezas'

- Até quando? Ela foi feita refém e torturada por 3 dias pelo ex-marido