NOTÍCIAS

Atirador de Munique tinha 18 anos, era impopular na escola e carregava mais de 300 balas na mochila

23/07/2016 10:10 BRT | Atualizado 23/07/2016 10:10 BRT
Johannes Simon via Getty Images
MUNICH, GERMANY - JULY 23: People lay flowers and candles outside the OEZ shopping center the day after a shooting spree left nine victims dead on July 23, 2016 in Munich, Germany. According to police an 18-year-old German man of Iranian descent shot nine people dead and wounded at least 16 before he shot himself in a nearby park. For hours during the spree and the following manhunt the city lay paralyzed as police ordered people to stay off the streets. Original reports of up to three attackers seem to have been unfounded. The shooter's motive is so far unclear. (Photo by Johannes Simon/Getty Images)

O ataque a um movimentado shopping center em Munique, na Alemanha, na última sexta-feira (22), foi feito por um jovem alemão-iraniano de 18 anos, segundo a polícia local.

Identificado pela imprensa local como Ali Sonboly, o autor dos disparos que mataram nove pessoas foi encontrado morto pela polícia, com um ferimento a bala, em um aparente suicídio. Ele carregava mais de 300 balas em sua mochila.

Segundo a CNN, os chefes de segurança afirmaram que, baseados nos vídeos de segurança e nos depoimentos de testemunhas, o atirador agiu sozinho.

As autoridades também afirmaram que ele tinha recebido tratamento psiquiátrico e não tinha vínculos com o Estado Islâmico.

A polícia local acredita que o crime não tenha tido motivações políticas.

Segundo Robert Heimberger, da polícia da Baviera, o jovem de 18 anos provocou um bloqueio na capital da Baviera depois de abrir fogo perto do shopping Olympia.

Após uma busca da polícia no quarto do atirador, o chefe da polícia de Munique, Hubertus Andrae, descartou uma ligação islamita nas mortes.

"Com base nas buscas, não há indicação alguma de uma conexão com o Estado Islâmico" ou com a questão dos refugiados, disse Andrae em uma entrevista coletiva.

Cinco das nove vítimas eram menores de idade, informou a agência EFE. Entre os feridos, 16 permanecem no hospital, sendo três em estado grave.

As forças de segurança alemãs estão em alerta para atentados desde a semana passada, quando um afegão atacou a facadas passageiros dentro de um trem no Sul do país.

Interesse por tiroteios

O investigador Robert Heimberger disse que Sonboly aparentemente criou um perfil falso de uma mulher no Facebook e postou um convite para atrair pessoas ao shopping com uma promessa de "lanche gratuito", segundo o The Guardian.

No perfil falso, uma mulher convidava as pessoas a irem ao McDonald's às 16h (horário de Munique), com a frase "Vou lhes dar algo que vocês querem, mas nada muito caro".

As autoridades disseram que o garoto pesquisou ataques em massa e tinha uma obsessão por tiroteios, inclusive pelo massacre ocorrido na Noruega, em 2011, por Anders Behring Breivik.

Colegas de Sonboly contaram ao Guardian que o adolescente sofria bullying na escola, era bastante impopular e estava frequentemente sozinho. Vizinhos o descreveram como tímido e preguiçoso.

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse estar de luto pela tragédia, prometendo que os serviços de segurança farão de tudo para garantir que a segurança da população.

"Estamos todos - e digo isso em nome de todo o governo federal - de luto e com o coração pesado por aqueles que nunca voltarão para suas famílias”, disse a chanceler.

"Às famílias, pais e crianças para os quais hoje tudo parece vazio e sem importância, eu digo pessoalmente e em nome de muitas, muitas pessoas na Alemanha: nós partilhamos sua dor, estamos pensando em vocês e sofrendo com vocês”.

Com informações da Reuters e da EFE

LEIA MAIS:

- Tiros são disparados dentro de shopping em Munique e deixam vários mortos

- Estado Islâmico reivindica ataque a trem na Alemanha