NOTÍCIAS

Pesadelo americano: Donald Trump aceita candidatura republicana com foco no medo e nas acusações falsas

22/07/2016 10:09 BRT | Atualizado 22/07/2016 10:09 BRT

donald trump

Foram 76 minutos de Donald Trump falando. O discurso de aceitação de Trump á candidatura republicana foi baseado em pintar uma visão sombria sobre a economia americana e assuntos internacionais sob a gestão do presidente Barack Obama, doses de xenofobia e promessas restabelecer a "lei e a ordem" e ser duro com os imigrantes.

Trump se apresentou como o único preparado para liderar a nação em "um momento de crise". "Ninguém conhece o sistema melhor que eu e por isso só eu posso consertá-lo", disse.

O bilionário aproveitou o palco para acusar a rival democrata Hillary Clinton de ter um legado de "morte, destruição, terrorismo e fraqueza" como secretária de Estado norte-americana.

"Os ataques contra nossos policiais e o terrorismo nas nossas cidades ameaçam nossa forma de viver. Qualquer político que não enfrentar esse perigo não serve para liderar nosso país", disse em referência à Hillary.

Trump usou seu tempo para criar a aura de "America First Again" (América Primeiro Novamente), prometendo criar problemas para Hillary e derrotá-la nas eleições de 8 de novembro.

Na plateia do ginásio de Cleveland, a multidão gritava "prendam-na" pelo modo como Hillary lidou com a política externa dos EUA. Trump deu de ombros: "Vamos derrotá-la em novembro".

Acusando imigrantes ilegais de roubarem trabalhos de cidadãos norte-americanos e cometerem crimes, Trump voltou a prometer construir um "grande muro fronteiriço" com o México. E prometeu a deportação de 11 milhões de imigrantes que vivem sem documentos.

donald trump

Uma pesquisa da CNN de espectadores do discurso indicou que 57% teve uma "reação muito positiva" à fala de Trump e 18% uma reação de certo modo positiva, enquanto 24 por cento disse ter tido um efeito negativo.

O evento foi boicotado por vários grandes nomes dentro do establishment republicano, como o candidato presidencial em 2012, Mitt Romney, e membros da família Bush. Ao final do discurso, Trump recebeu familiares no palco e balões caíram com confetes pela arena.

Com informações da agência Reuters

LEIA TAMBÉM:

- Quem são os Donalds Trumps mundo afora?

- Este é o mundo segundo Donald Trump... Seria engraçado se não fosse tão triste

- Stephen King e outros mais de 600 escritores se unem contra Donald Trump