NOTÍCIAS

Afastado, Cunha viaja 13 vezes de FAB em dois meses. Custo equivale a R$ 569 mil

21/07/2016 11:59 -03 | Atualizado 21/07/2016 11:59 -03
EVARISTO SA via Getty Images
The president of the Brazilian Chamber of Deputies, Eduardo Cunha, gestures during the election of members for a special congressional commission that will be first up to analyze the impeachment case against President Dilma Rousseff, at the National Congress in Brasilia, on December 8, 2015. Pro-impeachment deputies got 39 out of 65 seats on the commission, which is tasked with making a recommendation to the full lower house on Rousseff's impeachment. AFP PHOTO/EVARISTO SA / AFP / EVARISTO SA (Photo credit should read EVARISTO SA/AFP/Getty Images)

Desde que foi afastado do mandato, em 5 de maio, até o último dia 7 - quando renunciou à presidência da Casa, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) viajou 13 vezes ao Rio de Janeiro em em voos da Força Aérea Brasileira (FAB). Levantamento feito pelo UOL, com base nos dados da FAB e em cotações de empresas de táxi aéreo, o gasto foi do equivalente a R$ 569 mil.

Do total de voos, sete foram partindo de Brasília para o Rio de Janeiro e seis do Rio para a capital federal.

É prerrogativa do cargo de presidente da Câmara dos Deputados o uso de aviões da FAB para deslocamento entre o local de trabalho e a cidade onde reside. A presidente afastada Dilma Rousseff assim como o presidente em exercício, Michel Temer, tem o direito de usar o serviço da FAB.

O UOL, porém, ressalta que a Justiça do Rio Grande do Sul determinou que a presidente afastada faça o ressarcimento dos custos de seus voos enquanto estiver afastada.

Procurado, Cunha disse, por meio de sua assessoria, que não iria se manifestar.

LEIA TAMBÉM:

- Rei das manobras, Cunha não aceita derrota e vai recorrer ao STF

- Apesar de todas as manobras, CCJ rejeita recurso e cassação de Cunha vai a plenário

- Novo presidente da Câmara elogia Eduardo Cunha e agradece a esquerda pela vitória