LGBT

'Não estou arrependido': Jovem confessa ter matado homem gay. O motivo? Suposto assédio

15/07/2016 16:10 -03
Abhishek Chinnappa / Reuters
A member of the LGBT community in Bengalaru holds a candle during a memorial service following a mass shooting at the Pulse gay nightclub in Orlando, in India June 14, 2016. REUTERS/Abhishek N.Cinnappa

Outro caso de violência contra homossexuais reforça o fato de que cada vez mais a intolerância persiste no país. E se existia alguma dúvida, este caso comprova que a homofobia mata. Desta vez, um jovem de Manaus confessou ter atacado com violência outro homem até a morte. O motivo? Um suposto assédio. A vítima era gay.

De acordo com o G1, os irmãos Daniel da Silva Brandão, de 18 anos, e Valdo da Silva Brandão, 24 anos, são os suspeitos de agredir até a morte João Isac Ismael da Silva, de 26 anos. Os dois foram indiciados por homicídio qualificado.

A vítima foi assassinada em um bairro de Manaus em junho deste ano. Questionado sobre o crime, Daniel confessou a violência.

"Fui eu que matei. Só eu dei paulada. Não estou arrependido e dei várias pauladas mesmo."

De acordo com o relato da Polícia, a motivação principal do crime foi a homofobia. O delegado Luiz Rocha, em entrevista ao site, contou que os suspeitos argumentaram um suposto assédio.

"O Daniel disse que estava em um pagode próximo à sua residência e disse que a vítima estava o assediando e o tocando. Ele disse que não gostou da situação e se retirou do local. Daniel disse que, quando estava próximo de casa, notou que era seguido e chamou o irmão Valdo. Foi então que eles passaram a correr atrás da vítima."

Ao G1, a família da vítima negou a possibilidade de assédio dos suspeitos. A irmã de Ismael da Silva disse que ele era uma pessoa tranquila e dedicada ao trabalho.

"Meu irmão nunca faria isso, não iria assediá-lo. Isso é uma mentira. Mataram um inocente e que não fazia mal a ninguém. Só quero justiça."

LEIA MAIS:

- A homofobia mata: Tudo que sabemos sobre o assassinato do estudante da UFRJ

- Especularam a sexualidade do irmão de Luciano Huck. E ele deu a MELHOR resposta

- Viviany Beleboni: 'Preciso viver sem essa sombra de violência me seguindo'