NOTÍCIAS

TSE confirma que campanha de Dilma usou recursos da Petrobras, diz revista

09/07/2016 11:18 -03 | Atualizado 09/07/2016 11:18 -03
Victor Moriyama via Getty Images
SAO PAULO, BRAZIL - JULY 8: Brazilian suspended President Dilma Rousseff participates in a rally of women in defense of democracy on July 8, 2016 in Sao Paulo, Brazil. (Photo by Victor Moriyama/Getty Images)

Um relatório do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) afirmou que há evidências de que a campanha à reeleição da presidente afastada Dilma Rousseff, em 2014, utilizou recursos desviados da Petrobras, de acordo com reportagem da Istoé. O documento, segundo a revista, estaria em fase final de redação e uma perícia oficial deve ser divulgada em agosto.

Os indícios de lavagem de dinheiro durante a campanha de 2014 de Dilma, segundo a publicação, estão no fato de as gráficas VTPB, Focal, do ex-garçom de Lula, Carlos Cortegoso, e Red Seg não comprovarem os serviços prestados declarados nas últimas eleições. Com isso, as empresas seriam uma fachada e serviam de ponte para o pagamento de propinas do Petrolão. As três gráficas juntas receberam montante de R$ 52 milhões na campanha de Dilma em 2014.

A reportagem mostra que a Focal e a VTPB não apresentaram notas fiscais das máquinas nem contratos trabalhistas. Já a Red Seg, segundo a publicação, nem livro contábil possui. Cortegoso disse à revista que a Focal cometeu "algumas pequenas irregularidades no sentido fiscal, mas no sentido criminal não tem nada". Já os donos da VTPB afirmaram que a estrutura da empresa não tem nenhuma relação com os R$ 22,9 milhões recebidos da campanha de Dilma. A Red Seg não se manifestou.

As suspeitas de que os recursos repassados às três gráficas tiveram origem no Petrolão, esquema de desvios na Petrobras,apareceram na delação premiada de donos de empreiteiras presos no âmbito da Lava Jato. A ministra Maria Thereza, relatora do pedido de cassação de Dilma no TSE, ainda solicita mais provas e informações obtidas pela Polícia Federal durante as investigações.

O presidente do Tribunal, Gilmar Mendes, informou que "nem todas as diligências foram cumpridas pelo TSE" e que, por isso, "há de se aguardar uma maior quantidade de elementos para elaboração do relatório final da perícia". O é de 90 dias, que serão concluídos no mês que vem.

LEIA TAMBÉM

- Dilma desiste de se defender na Comissão do Impeachment e manda Cardozo

- Em um dia vaquinha para viagens de Dilma ultrapassa 70% da meta

- Posto do 'Não fale em crise, trabalhe' faliu. Temer diz que com ele seria diferente...