ENTRETENIMENTO

Um manifesto contra o ódio: Cantores se unem a coral trans de Los Angeles para fazer homenagem às vítimas de Orlando

07/07/2016 12:21 -03 | Atualizado 07/07/2016 12:21 -03

23 cantores e bandas norte-americanas se uniram ao Coral Trans de Los Angeles e lançaram, nesta quarta (6), o single Hands, em homenagem às vítimas do massacre na boate gay Pulse, em Orlando, que matou 49 pessoas e deixou 49 feridas.

A letra da música, escrita por Justin Tranter, é um manifesto muito bonito contra o ódio e sobre as possibilidades de mudanças que estão nas mãos de cada pessoa.

hands

Os músicos envolvidos no projeto são: Mary J Blige, Jason Derulo, Britney Spears, Tyler Glenn, Selena Gomez, Halsey, Ty Herndon, Imagine Dragons, Juanes, Adam Lambert, Mary Lambert, Jennifer Lopez, Kacey Musgraves, MNEK, Alex Newell, P!nk, Prince Royce, Nate Ruess, RuPaul, Troye Sivan, Jussie Smollett, Gwen Stefani, Meghan Trainor e o Coral Trans de Los Angeles

A música, gravada pela Interscope Records e a ONG GLAAD, foi lançada pelo iTunes e está sendo divulgada com a hashtag #ForThe49 (#ParaOs49).

Todo dinheiro arrecadado com a venda será doado a duas ONGs voltadas aos cuidados de pessoas LGBT e uma feita para as vítimas do atentado: Equality Florida Pulse Victims Fund, GLBT Community Center of Central Florida e GLAAD.

Veja abaixo um trecho da música traduzido:

"Você pode segurar uma arma

E segurar seu coração

Pode apagar incêndios

E fazê-los começar

Pele e osso

E carne e sangue

Com todo este nervo

Como chegamos a esse estado de entorpecimento?

Porque elas podem machucar

Ou elas podem curar

Elas podem devolver

Ou elas podem roubar

Elas podem destruir o mundo

Ou elas também podem mudá-lo

Oh, mãos

Porque elas podem amar

Ou elas podem tomar pra si

Elas podem lutar

até que consigam salvar

Elas podem destruir o mundo

Elas podem mudá-lo também

Oh, mãos...

Não importa quem você ame

Tudo o que importa é o amor

Eu tenho acompanhado o noticiário

E vendo todo esse ódio

Me diga se está errado

Querer um pouco de mudança?"

LEIA MAIS:

- Orlando é aqui: Professores gays foram carbonizados no interior da Bahia

- Eu culpo o ódio

- Demoramos somente 38 minutos para comprar um AR-15 em Orlando