NOTÍCIAS

TRISTEZA: Refugiados fogem do Boko Haram mas morrem de fome na Nigéria

23/06/2016 16:59 BRT | Atualizado 23/06/2016 16:59 BRT
Stringer . / Reuters
A girl rubs her eye beside her father in an internally displaced persons (IDP) camp, that was set up for Nigerians fleeing the violence committed against them by Boko Haram militants, at Wurojuli, Gombe State, September 1, 2014. Islamist Boko Haram insurgents have overrun much of Bama, a northeastern Nigerian town ,after hours of fighting that has killed scores and displaced thousands of residents, several security sources said on September 2. Picture taken September 1, 2014. REUTERS/Samuel Ini (NIGERIA - Tags: POLITICS CIVIL UNREST)

A organização internacional Médicos sem Fronteiras denunciou, nesta quinta-feira (22) uma "emergência humanitária catastrófica" no estado de Borno, no nordeste Nigéria.

Segundo informações do MSF, pelo menos 188 pessoas morreram desde o dia 23 de maio, principalmente por causa de fome e diarreia. Cerca de 24 mil pessoas, incluindo 15 mil crianças vivem no campo para deslocados internos, que fogem principalmente da violência do grupo extremista Boko Haram.

Durante uma visita ao local, a equipe do MSF encontrou, em uma unidade de saúde mantida pela organização em Maiduguri, pelo menos 16 crianças sofrendo de desnutrição severa. O quadro, no entanto, é muito mais preocupante: uma avaliação nutricional feita em mais de 800 crianças mostrou que 19% sofrem de desnutrição severa aguda - o pior tipo de desnutrição.

"Nós estamos tratando as crianças desnutridas em unidades médicas em Maiduguri e vemos o trauma nos rostos dos nossos pacientes, que sobreviveram e testemunharam tantos horrores", afirma Ghada Hatim, chefe da missão no país.

Em alguns dias, mais de 30 pessoas morreram no campo, que fica em Bama, a apenas 70 km da capital do estado, mas que é foco de intensos combates entre rebeldes e tropas do governo, o que torna a curta viagem muito insegura. Entre os dias 13 e 15 deste mês o MSF, em parceria com outras organizações, conseguiu levar 1.192 pacientes para a cidade.

Os refugiados de Bama estão entre 1,8 milhão de nigerianos que foram forçados a deixar suas casas, mas que seguem vivendo na Nigéria. Segundo a ONU, pelo menos 155 mil pessoas deixaram a Nigéria em busca de abrigo em outros países.

LEIA TAMBÉM:

- Na Nigéria, ela foi atacada pelo Boko Haram. No Brasil, é discriminada pela origem

- Primeira das 219 estudantes raptadas pelo Boko Haram há dois anos é encontrada

- #BringBackOurGirls: Dois anos depois, onde estão nossas meninas?