NOTÍCIAS

Sanders promete completar última primária e fazer campanha contra Trump

09/06/2016 15:28 -03 | Atualizado 09/06/2016 15:28 -03
Mario Anzuoni / Reuters
Democratic U.S. presidential candidate Bernie Sanders speaks to supporters following the closing of the polls in the California presidential primary in Santa Monica, California, U.S., June 7, 2016. REUTERS/Mario Anzuoni

O senador democrata por Vermont, Bernie Sanders, afirmou nesta quinta-feira (9) que irá manter sua plataforma de campanha até a última primária, em Washington, na próxima semana, mas não deu indicação se pretende apoiar a campanha de Hillary Clinton ou desafiá-la como virtual candidata do partido.

Sanders falou brevemente a repórteres após um encontro com o presidente Barack Obama, em meio à pressão de lideranças democratas para que o pré-candidato encerre sua campanha e ajude a unificar o partido sob a liderança de Hillary.

Ele agradeceu à "imparcialidade" do presidente durante as primárias democratas e prometeu levar os temas reforma da educação e de Wall Street para a convenção em julho.

Embora Sanders não tenha dito que desistiu da corrida, ele também não mencionou a ex-secretária de Estado como uma competidora, enfatizando que ele planeja encontrá-la em breve "para combinarmos como derrotar Donald Trump e criar um governo que represente todos e não apenas o 1%".

Autoridades da Casa Branca disseram que Obama usaria o Salão Oval em seu encontro com Sanders para salientar a importância da unificação do partido.

Nesta quarta (8), em entrevista ao canal CNBC, o presidente afirmou que a corrida foi mais acirrada que o esperado, mas que isto é "algo saudável" e que tornou Clinton uma candidata melhor. "Eu acredito que Sanders trouxe uma enorme energia e novas ideias", disse, acrescentando esperar que "nas próximas semanas consigamos juntá-los."

Washington realiza a última primária na próxima terça-feira (14), e Sander afirmou que pretende se manter na campanha até lá.