NOTÍCIAS

Romário divulga nota com críticas ao governo Temer

02/06/2016 11:09 BRT | Atualizado 02/06/2016 11:09 BRT
NOVO! DESTAQUE E COMPARTILHE
Destaque o texto para compartilhar no Facebook e no Twitter
EVARISTO SA via Getty Images
Brazilian senator and former football star Romario follows the voting as lawmakers decide on whether the impeachment of President Dilma Rousseff will move forward, at the Congress in Brasilia on April 17, 2016. The voting followed a raucous debate that transfixed the deeply divided nation. The opposition needs a total of 342 out of the 513 deputies in the lower house of Congress to authorize the trial. Rousseff, whose approval rating has plunged to a dismal 10 percent, faces charges of embellishing public accounts to mask the budget deficit during her 2014 reelection. / AFP / EVARISTO SA (Photo credit should read EVARISTO SA/AFP/Getty Images)

O senador Romário (PSB-RJ) divulgou uma nota em que justifica sua saída da comissão do impeachment. Apesar de não vincular a decisão a uma possível mudança de voto, o senador fez críticas ao governo do presidente em exercício Michel Temer.

"Abri mão da vaga de titular da Comissão do Impeachment", escreveu Romário.

"De agora em diante, vou acompanhar os trabalhos como não membro, já que isso é possível. Sou presidente da Comissão de Educação, da CPI do Futebol e atuo em importantes causas sociais que não podem ser deixadas de lado. Não há que se falar em mudança de voto porque são dois votos distintos. No primeiro, votei pela continuidade da investigação. O segundo e definitivo voto será para julgar o crime de responsabilidade."

De acordo com Romário, ele foi crítico ao governo Dilma e votou a favor da abertura do processo de impeachment para que houvesse a oportunidade de se aprofundar nas investigações. Em seguida, o senador colocou diversas críticas à gestão Temer e disse que analisará o "conjunto da obra".

"No lugar de ministros 'notáveis', conforme Temer prometeu, tivemos ministros investigados. Vimos ministérios estratégicos para o País serem fundidos e perderem relevância, como o fundamental Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação. Assim como a extinção do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos", criticou.

O senador também disse que temas relevantes perderam a importância, citando a situação da secretaria das pessoas com deficiência, que foi alocada no Ministério da Justiça. Ele também criticou a extinção do Ministério da Previdência Social e da Controladoria-Geral da União, apontando que a decisão prejudica o combate à corrupção.

Mudança de voto

A saída de Romário da comissão do impeachment é, de certa forma, uma sinalização da sua mudança de voto. Isso porque o PSB fechou questão em favor do impeachment e indicou para a comissão apenas senadores com esse posicionamento. No lugar de Romário, vai integrar a comissão a senadora Lúcia Vânia (PSB-GO).

LEIA MAIS:

- Quem são os senadores que podem mudar a votação final do impeachment

- Romário: 'Alguém avisa a Cleo Pires que também estou solteiro'