NOTÍCIAS

Lindbergh ataca Temer por desemprego, mas dados são de Dilma

31/05/2016 20:32 BRT | Atualizado 26/01/2017 22:34 BRST
Jefferson Rudy/ Agência Senado

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) "comemorou" em sua página oficial no Facebook o recorde de desemprego do Brasil, anunciado nesta terça-feira (31) pelo IBGE. "Recorde de desemprego: o golpe aumentou a crise", diz o senador no texto.

Acontece que os dados se referem ao trimestre encerrado em abril de 2016, período que corresponde ao governo da presidente Dilma Rousseff (PT).

A taxa de desocupação no Brasil ficou em 11,2% no referido trimestre, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), pior da série histórica que começa em 2012.

"19 dias de governo, vários escândalos, dois ministros demitidos, sinais explícitos de retrocesso em todas as áreas, imagem internacional do país na lama, democracia em risco", afirmou. "Este é o legado dos golpistas: a crise piorou dramaticamente."

Comentários no post já percebiam o equívoco do senador: "Eu sou de esquerda, sou contra o golpe, contra os trouxinhas manipulados, mas daí a culpar o desemprego atual no Temer não né. Não ofende nossa inteligência por favor", diz um deles. O erro foi percebido e o post apagado por volta das 18 horas.

O senador foi procurado por EXAME.com para comentar, mas ainda não deu resposta.

LEIA TAMBÉM:

- Ainda é cedo para avaliar as políticas econômicas do governo Temer

- Temer completa álbum e escolhe mais uma figurinha da Lava Jato para líder no Senado

- Temer diz que não ficará nas 'palavras' e promete órgão para combater violência contra mulher