ENTRETENIMENTO

Angelina Jolie agora também será professora em estudos de gênero em Universidade de Londres

24/05/2016 11:52 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02
LOUISA GOULIAMAKI via Getty Images
Hollywood star and UN refugee agency envoy Angelina Jolie gestures as she leaves the Greek Prime minister's office in Athens following a meeting with Greek Prime minister on March 16, 2016. / AFP / LOUISA GOULIAMAKI (Photo credit should read LOUISA GOULIAMAKI/AFP/Getty Images)

Não bastasse ser uma atriz, diretora, embaixadora da boa vontade do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), mãe de seis filhos e ativista social, Angelina Jolie agora também é professora de estudos sobre gênero.

A atriz irá lecionar, a partir de 2017, como professora visitante no novo programa de mestrado do Centro para Mulheres, Segurança e Paz da London School of Economics, de acordo com uma declaração publicada nesta segunda (23) no site da Universidade.

Seu trabalho será dar palestras e participar de oficinas com os estudantes, compartilhando de suas experiências pela luta dos direitos das mulheres refugiadas ao lado de diversos governos e das Nações Unidas.

No comunicado da Universidade, ela disse que está muitíssimo animada com a criação deste programa de mestrado e que espera que outras instituições acadêmicas sigam o mesmo exemplo:

"É essencial que ampliemos a discussão sobre como avançar e melhorar os direitos das mulheres afim de acabar com a impunidade de crimes que afetam num magnitude desproporcionalmente maior as mulheres, como a violência sexual em situações de conflito", afirma.

O Centro para Mulheres, Segurança e Paz foi criado em fevereiro de 2015 por William Hague, político britânico, e por Jolie em decorrência do trabalho em conjunto dos dois na Iniciativa de Prevenção da Violência Sexual em Conflitos (PSVI), co-fundada em 2012.

O Centro é um espaço acadêmico pioneiro voltado a estudiosos, ativistas, políticos e estudantes para desenvolver estratégias que promovam justiça, direitos humanos e participação política de mulheres em regiões afetadas por conflitos de guerra ao redor do mundo.

O intuito é promover a igualdade de gênero e aumentar a participação econômica, social e política das mulheres, além de respaldá-las com segurança.

LEIA MAIS:

- Angelina Jolie vai dirigir filme para Netflix; projeto conta história de Loung Ung, ativista dos direitos humanos

- Fãs de Angelina Jolie saem em defesa da atriz após boatos de que atriz está sofrendo de anorexia

- Angelina Jolie: 'Não podemos gerenciar o mundo com ajuda humanitária em vez de diplomacia'