ENTRETENIMENTO
24/05/2016 11:52 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Angelina Jolie agora também será professora em estudos de gênero em Universidade de Londres

LOUISA GOULIAMAKI via Getty Images
Hollywood star and UN refugee agency envoy Angelina Jolie gestures as she leaves the Greek Prime minister's office in Athens following a meeting with Greek Prime minister on March 16, 2016. / AFP / LOUISA GOULIAMAKI (Photo credit should read LOUISA GOULIAMAKI/AFP/Getty Images)

Não bastasse ser uma atriz, diretora, embaixadora da boa vontade do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), mãe de seis filhos e ativista social, Angelina Jolie agora também é professora de estudos sobre gênero.

A atriz irá lecionar, a partir de 2017, como professora visitante no novo programa de mestrado do Centro para Mulheres, Segurança e Paz da London School of Economics, de acordo com uma declaração publicada nesta segunda (23) no site da Universidade.

Seu trabalho será dar palestras e participar de oficinas com os estudantes, compartilhando de suas experiências pela luta dos direitos das mulheres refugiadas ao lado de diversos governos e das Nações Unidas.

No comunicado da Universidade, ela disse que está muitíssimo animada com a criação deste programa de mestrado e que espera que outras instituições acadêmicas sigam o mesmo exemplo:

"É essencial que ampliemos a discussão sobre como avançar e melhorar os direitos das mulheres afim de acabar com a impunidade de crimes que afetam num magnitude desproporcionalmente maior as mulheres, como a violência sexual em situações de conflito", afirma.

O Centro para Mulheres, Segurança e Paz foi criado em fevereiro de 2015 por William Hague, político britânico, e por Jolie em decorrência do trabalho em conjunto dos dois na Iniciativa de Prevenção da Violência Sexual em Conflitos (PSVI), co-fundada em 2012.

O Centro é um espaço acadêmico pioneiro voltado a estudiosos, ativistas, políticos e estudantes para desenvolver estratégias que promovam justiça, direitos humanos e participação política de mulheres em regiões afetadas por conflitos de guerra ao redor do mundo.

O intuito é promover a igualdade de gênero e aumentar a participação econômica, social e política das mulheres, além de respaldá-las com segurança.

LEIA MAIS:

- Angelina Jolie vai dirigir filme para Netflix; projeto conta história de Loung Ung, ativista dos direitos humanos

- Fãs de Angelina Jolie saem em defesa da atriz após boatos de que atriz está sofrendo de anorexia

- Angelina Jolie: 'Não podemos gerenciar o mundo com ajuda humanitária em vez de diplomacia'