NOTÍCIAS

Em nova missão, PF mira em pessoas 'próximas' de Lula

20/05/2016 09:04 BRT | Atualizado 26/01/2017 22:31 BRST
Brazil Photo Press/CON via Getty Images
SAO PAULO, BRAZIL - APRIL 25: Former President of Brazil Luiz In��cio Lula da Silva gestures during the 'Democracy and Social Justice' seminar of the Progressive Alliance on April 25, 2016 in Sao Paulo, Brazil. The Progressive Alliance is a network of parties and organizations from around the world, organized by the PT, with dozens of representatives including the PRD in Mexico, the Italian Democratic Party and the German social Democratic (SPD). (Photo by William Volcov/Brazil Photo Press/LatinContent/Getty Images)

A Polícia Federal deflagrou nova operação nesta sexta-feira (20). O alvo são pessoas ligadas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele não é alvo da ação, que é um desdobramento de inquérito do Supremo Tribunal Federal.

A PF cumpre dois mandados de condução coercitiva - quando o investigado é levado para depor e liberado - e quatro ordens de busca e apreensão em empresas em São Paulo e Santos, no litoral paulista.

Um dos alvos das diligências realizadas pela PF é o empresário Taiguara Rodrigues dos Santos, sobrinho da ex-mulher de Lula, de acordo com o G1.

As empresas onde foram realizadas ordens de busca e apreensão são ligadas ao Grupo Odebrecht, investigado pela Operação Lava Jato.

Segundo o site Jota, as ações de hoje são um desdobramento de uma investigação iniciada em julho de 2015 pelo Núcleo de Combate à Corrupção da Procuradoria da República no Distrito Federal.

Apesar de não ter relações com a Lava Jato, a PF investiga um possível tráfico de influência envolvendo o ex-presidente e a empreiteira Odebrecht.

Segundo a PF, o objetivo é verificar se contratos da Odebrecht com uma empresa do setor de construção em nome de parentes de um ex-agente público foram utilizados para o pagamento de "vantagens indevidas."

(Com informações da Estadão Conteúdo)

LEIA MAIS:

- Janot acusa Lula de ter 'papel central' na tentativa de obstruir Lava Jato

- PT veta aliança com defensor de impeachment, mas permite chapa com PMDB