NOTÍCIAS

Aécio Neves: 'Goste ou não do Congresso, é quem melhor representa a sociedade brasileira'

11/05/2016 20:21 BRT | Atualizado 27/01/2017 00:31 BRST
EVARISTO SA via Getty Images
Senator Aecio Neves, who heads the PSDB opposition party, is pictured during a senate's session to form a committee that will consider whether to impeach President Dilma Rousseff, in Brasilia, on April 25, 2016. Brazil's Senate met Monday to form a committee that will consider whether to impeach Rousseff, who has accused her opponents of mounting a constitutional coup. She is accused of illegal government accounting maneuvers, but says she has not committed an impeachment-worthy crime. The Senate committee -- comprising 21 of the 81 senators -- was to debate Rousseff's fate for up to 10 working days before making a recommendation to the full upper house. / AFP / EVARISTO SA (Photo credit should read EVARISTO SA/AFP/Getty Images)

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) discursou, há pouco, durante a sessão que discute a admissibilidade do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

"Goste ou não do Congresso é ele quem representa de forma mais clara e melhor os vários extratos da sociedade brasileira", disse o senador ao defender a aprovação do impeachment na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

Derrotado por Dilma nas eleições presidenciais de 2014, ele afirmou que nos últimos debates alertou a líder sobre as pedaladas fiscais.

"A responsabilidade pela condução das finanças públicas é intransferível", argumentou, dizendo ainda que o presidente não pode repassar sua responsabilidade a seus subordinados.

"Essa é uma marca dos governos populistas. Sempre agem com irresponsabilidade fiscal. E, quando fracassam, usam o velho discurso da divisão entre nós e eles", criticou, dizendo ainda que quem sofre as consequências é a camada mais pobre da população.

Cargos nos ministérios

O tucano afirmou que, de acordo com a Constituição, o presidente pode indicar "quem bem entender" para ministérios e também é livre para delegar atribuições a cada ministro.

Na última semana, com o prosseguimento do processo de impeachment, muito se especulou sobre os possíveis ministros que podem nomeados pelo vice-presidente Michel Temer. Especula-se, também, que possa haver corte no número de ministérios.

Além de citar Antonio Anastasia (PSDB-MG), seu apadrinhado e relator da comissão especial do impeachment no Senado,a quem chamou de "correligionário, amigo e irmão", Aécio finalizou sua fala citando seu avô, Tancredo Neves.

"Nesse momento alto da história, orgulhamo-nos de pertencer a um povo que não se abate, que sabe afastar o medo e não aceita acolher o ódio."