NOTÍCIAS

'Não sei as consequências. Por favor, tenham cautela', diz Dilma sobre anulação de votação do impeachment na Câmara

09/05/2016 12:58 BRT | Atualizado 27/01/2017 00:31 BRST
NOVO! DESTAQUE E COMPARTILHE
Destaque o texto para compartilhar no Facebook e no Twitter
EVARISTO SA via Getty Images
Brazilian President Dilma Rousseff attends the launching ceremony of a new stage of the state-subsidized housing program at Planalto Palace in Brasilia on May 6, 2016. A special committee in Brazil's Senate was to vote Friday on whether to recommend starting an impeachment trial against President Dilma Rousseff who faces being suspended from office in less than a week. / AFP / EVARISTO SA (Photo credit should read EVARISTO SA/AFP/Getty Images)

A presidente Dilma Rousseff pediu cautela após a decisão do presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), de anular a votação do impeachment na Casa. "Não tenho essa informação oficial. Não sei as consequências. Por favor, tenham cautela", disse a presidente durante cerimônia em Brasília de anúncio da criação de cinco novas universidades federais.

"Temos uma disputa dura pela frente. Peço tranquilidade para lidar com isto. As coisas não se resolvem assim. Ainda temos muito a fazer", completou.

Em discurso seu discurso, Dilma voltou a afirmar que o processo de impedimento contra ela é "sem base, sem legalidade", e que se trata de golpe. "Acredito que temos que continuar percebendo o que está em curso. Temos que compreender a situação para poder lutar", afirmou.

Durante o evento, Dilma assinou o projeto de lei que cria mais cinco universidades federais: As de Catalão e de Jataí, em Goiás; a do Delta do Parnaíba, em Parnaíba, Piauí; a do Norte do Tocantins, em Araguaína, Tocantins; e a de Rondonópolis, em Mato Grosso. As novas universidades vão se juntar às 63 existentes.