NOTÍCIAS
25/04/2016 11:35 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Estado americano pode incluir viciados em heroína na lista de pacientes que usam maconha medicinal

JACK GUEZ via Getty Images
An Israeli employee carries bags of cannabis being sold for prescription-carrying patients at a dispensary by Israeli medical cannabis company Tikun Olam in the coastal Israeli city of Tel Aviv on March 2, 2016. / AFP / JACK GUEZ (Photo credit should read JACK GUEZ/AFP/Getty Images)

O Maine pode se tornar o primeiro estado dos EUA a tratar dependentes de drogas como a heroína com maconha medicinal.

Na última semana, 30 pacientes e médicos foram ouvidos por agentes públicos durante uma audiência, e afirmaram que o uso da erva alivia os sintomas causados pelo vício em drogas derivadas do ópio.

Em contrapartida, quatro médicos se manifestaram contra a proposta. Quem discorda do uso da maconha no tratamento de viciados diz que há poucas pesquisas sobre o tema, e que eventualmente, a tentativa poderia ser como "jogar gasolina no fogo".

O estado norte-americano aprovou o uso da maconha medicinal em 2009. São pacientes "elegíveis" para o tratamento aqueles que sofrem com câncer, AIDS.

Segundo pesquisas, os princípios ativos da maconha podem ser um aliado no combate ao vício de drogas derivadas do ópio. Com o uso da erva pode reduzir o consumo de analgésicos que também podem desencadear vícios, por exemplo. Entre os sintomas de abstinência do ópio estão náusea, diarreia, espasmos musculares, insônia e ansiedade.

Britney Lashier, 23, deu o seu depoimento na audiência. "A maconha salvou minha vida, com certeza".

O Departamento de Saúde e Serviços Humanos de Maine tem 180 dias para se manifestar sobre a audiência, organizada após uma cuidadora propor uma petição a respeito do tema.