NOTÍCIAS

Mais uma derrota no horizonte de Dilma: Maioria dos senadores da comissão é pró-impeachment

22/04/2016 18:49 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
ASSOCIATED PRESS
Brazil's President Dilma Rousseff briefly closes her eyes as a governor speaks during a meeting on state land issues, at Planalto presidential palace in Brasilia, Brazil, Friday, April 15, 2016. The lower chamber of Brazil's Congress began a debate on whether to impeach Rousseff, a question that underscores deep polarization in Latin America's largest country and most powerful economy. The crucial vote is slated for Sunday. (AP Photo/Eraldo Peres)

Os líderes dos blocos partidários concluíram nesta sexta-feira as indicações dos 42 integrantes da comissão do impeachment do Senado. Entre os 21 titulares e 21 suplentes, conforme o Placar do Impeachment, publicado pelo Estadão, 70% deles já se declararam favoráveis ao impedimento da presidente Dilma Rousseff. Ao todo, 29 se disseram favoráveis, sete contrários, cinco indecisos e um não quis responder.

Com a composição completa, o plenário do Senado se reunirá na segunda-feira, 25, para aprovar em votação a escolha dos indicados. Ato contínuo, pelo regimento, o senador mais velho do colegiado, o suplente José Maranhão (PMDB-PB), terá de convocar a primeira reunião da comissão para eleger o presidente e o vice.

O PMDB, maior bancada, indicou para a presidência o senador Raimundo Lira (PMDB-PB). O PSDB, que tem o segundo maior bloco partidário, apresentou o nome do tucano Antonio Anastasia (MG) para relatoria, mas o PT tem protestado contra a indicação dele, que considera parcial (já declarou voto a favor do impeachment), e ameaça recorrer à Justiça.

O bloco liderado pelo PT apresentou formalmente na manhã desta sexta-feira, 22, ao Senado o nome dos integrantes: os petistas Gleisi Hoffmann (PR), Lindbergh Farias (RJ) e José Pimentel (CE) e o pedetista Telmário Mota (RR), como titulares; como suplentes o líder da bancada Humberto Costa (PT-PE) e Fátima Bezerra (PT-RN) e do PDT Acir Gurgacz (RO) - a quarta vaga na suplência foi cedida a João Capiberibe (PSB-AP), que é de outro bloco partidário.

Também formalizou suas indicações o bloco formado pelo PSB, PPS, Rede e PCdoB. Foram indicados como titulares os socialistas Fernando Bezerra Coelho (PE) e Romário (RJ) e a comunista Vanessa Grazziotin (AM) e, como suplentes, Roberto Rocha (PSB-MA), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Cristovam Buarque (PPS-DF).

LEIA TAMBÉM:

- 'Nosso povo saberá impedir qualquer retrocesso', diz Dilma na ONU

- Dilma recorre à ONU e à comunidade estrangeira na tentativa de barrar o impeachment

- ASSISTA: Como foi o protesto em SP contra o impeachment de Dilma