NOTÍCIAS

Para Mujica, oposição pensa que consertará a crise ao tirar Dilma: 'É preciso eleger um culpado'

21/04/2016 19:10 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

jose mujica

O ex-presidente do Uruguai José Mujica afirmou nesta quinta-feira que, em momentos de dor, como a atual crise econômica, "é preciso eleger um emissário para encontrar a culpa".

Questionado em entrevista depois da cerimônia se o que está em curso no País é ou não um golpe, como tem classificado o governo Dilma Rousseff, Mujica respondeu: "No meu país há um ditado: 'Não acredito em bruxas, mas que elas existem, existem".

Segundo a Folha, o uruguaio que os conservadores terão problema em assumir o País num caso de impeachment.

"A direita pode pensar que magicamente, ao tirar Dilma, consertará a crise. Não podem. Pode consertar a crise em país sem conciliar o capital com o trabalho? Não, não pode".

Segundo Mujica, a crise pela qual passa o Brasil está acontecendo em todo o mundo. "O capitalismo tem momentos de alta e baixa. O Brasil está no ponto mais baixo", justificou. Mujica foi o orador do 21 de Abril, data da entrega da Medalha da Inconfidência, a mais alta homenagem do governo de Minas Gerais.

O ex-presidente do Uruguai recebeu o mais alto grau da medalha, o Grande Colar. Durante a cerimônia, ao acessar o palanque de autoridades ao lado do governador Fernando Pimentel (PT), Mujica recebeu uma bandeira do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), que levou cerca de 3 mil integrantes a Ouro Preto.

LEIA TAMBÉM:

- Em editorial, revista The Economist defende novas eleições no Brasil

- Processo de cassação da chapa Dilma e Temer avança na Justiça Eleitoral

- A velha rivalidade PT X PSDB abre comissão de impeachment no Senado

- Impeachment de Dilma é 'grande perigo' para os LGBT brasileiros, diz presidente da ABGLT