NOTÍCIAS

Após quase 18 mil denúncias, Procuradoria-Geral da República vai analisar conduta de Bolsonaro

20/04/2016 19:42 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Wilson Dias/ Agência Brasil

Quem assistiu à votação na Câmara dos Deputados no último domingo (17) é testemunha do horror que foi dito por Jair Bolsonaro em seu voto a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Além de homenagear os militares da ditadura, o deputado dedicou o seu voto a um coronel específico: Carlos Alberto Brilhante Ustra, chefe do DOI-Codi em São Paulo, um dos responsáveis pelas torturas sofridas pela presidente na época.

Mas boa parte da sociedade não assistiu calada a esse pronunciamento. Foram enviadas 17.853 manifestações contra o deputado ao Ministério Público Federal. Diante disso, a Procuradoria Geral da República anunciou nesta quarta-feira (20) que irá instaurar procedimento para analisar a conduta de Bolsonaro.

LEIA MAIS:

- 5 relatos que mostram por que é inadmissível homenagear a ditadura

- OAB-RJ vai pedir cassação de Bolsonaro no STF