NOTÍCIAS
17/04/2016 20:15 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Equador: Terremoto mais forte do país em 37 anos deixa centenas de mortos

Edu Leon/CON via Getty Images
EL CARMEN, ECUADOR - APRIL 17: People try to recover what was left of their homes after an earthquake struck Ecuador on April 17, 2016 in El Carmen, Ecuador. At least 235 people were killed after a 7.8-magnitude queake. (Photo by Edu Leon/LatinContent/Getty Images)

O Equador teve o seu mais forte terremoto desde 1979. O tremor, de 7,8 graus na escala Richter, causou mortes nas cidades de Manta, Portoviejo e Guayaquil, todas a várias centenas de quilômetros do epicentro, que se deu em uma área escassamente povoada e 170 quilômetros ao noroeste da capital, Quito. O abalo ocorreu no último sábado (16).

Segundo o vice-presidente Jorge Glas, o número de mortes chegou a 238. Os feridos passam de 1.500 pessoas. Glas falou em nome do Equador enquanto o presidente Rafael Correa retorna de viagem a Roma.

Na manhã deste domingo (17), o papa Francisco ofereceu suas preces aos afetados pelo grande terremoto que sacudiu o Equador e no Japão neste final de semana, "causando muitas vítimas e grande dano".

O governo da Venezuela enviou ao Equador neste domingo um avião com uma equipe de resgate, ajuda humanitária e alimentos para as vítimas.

O vice-presidente disse que não existe risco de tsunami no país e reforçou que continua a mobilização da força pública e do sistema de saúde para atender as urgências nas regiões mais afetadas pelo terremoto.

Segundo Glas, 4,6 mil policiais, cerca de 100 especialistas em resgate e 10 mil homens da Forças Armadas foram mobilizados para atuar nas áreas atingidas. O governo espera concluir neste domingo a instalação de hospitais móveis.

O vice-presidente informou ainda que os esforços para restabelecer parte do serviço de eletricidade na região do terremoto continuam.

Na noite de sábado (16), o presidente Rafael Correa fez um discurso via internet e expressou solidariedade e apoio aos familiares dos mortos e feridos. Correa pediu que a população mantenha a calma e a unidade neste momento difícil. O país está em estado de exceção.

Com informações do Estadão Conteúdo, da Associated Press e da Agência Brasil.

LEIA MAIS:

- Terremotos no Japão deixam dezenas de mortos e chuva deve complicar resgate de feridos

- Incêndio em templo na Índia mata cerca de 100 pessoas

- Número de crianças usadas em ataques do Boko Haram dispara, diz ONU