NOTÍCIAS
15/04/2016 13:00 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Ostentação: envolvido na 'máfia da merenda' de São Paulo exibe muito dinheiro. E crianças ficam sem merenda

A Polícia Civil apreendeu uma foto em que um dos envolvidos na chamada "máfia da merenda" de São Paulo onde Carlos Luciano Lopes, um dos vendedores da Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar (Coaf), exibe maços de notas de 2, 10, 20 e 50 reais.

delator merenda

A imagem surgiu nas investigações da Operação Alba Branca, que apura fraudes em contratos de fornecimento de merenda escolar em ao menos 22 cidades do estado de São Paulo.

Na contramão, a página Diário da Merenda, os alunos passaram a postar as imagens das merendas que têm recebido. No lugar de arroz, feijão e carne, biscoito e iogurte. No lugar do macarrão com frango, nenhum alimento.

Segundo o Estado de S. Paulo, os investigadores acreditam que as notas vistas na imagem são fruto dos desvios do esquema. No esquema, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), Fernando Capez (PSDB), seria o principal beneficiário do esquema.

Em depoimento no dia 20 de janeiro, Carlos Luciano Lopes disse à Polícia Civil e ao Ministério Público Estadual que Fernando Capez recebia parte de comissão entregue ao lobista Marcel Ferreira Júlio em contratos superfaturados com prefeituras na venda de produtos agrícolas e suco de laranja. Capez era tratado como ‘nosso amigo’ pelos integrantes do grupo sob suspeita.

Nas eleições de 2014, Cássio Chebabi, então presidente da Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar (Coaf), cedeu um veículo Gol ‘para uso na campanha do deputado Capez’. Segundo Lopes, o carro ficou à disposição do comitê do tucano por 90 dias.

LEIA TAMBÉM:

- Gaviões da Fiel protesta por 'CPI da merenda'. E PM vasculha sede da torcida

- Esquema da merenda movimentou R$ 2 milhões em propina

- Por que braço direito de Alckmin teve 'desconto' em imóvel de luxo?