NOTÍCIAS

Jean Wyllys pede que STF proíba voto de Cunha no processo do impeachment, aponta jornal

15/04/2016 21:06 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

wyllys cunha

O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) entrou com uma ação nesta sexta-feira para que o Supremo Tribunal Federal (STF) determine que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), se abstenha de votar no processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Segundo a Folha de S. Paulo, o deputado do PSOL indica em seu pedido ao STF que o voto de Eduardo Cunha fere o regimento da Câmara, que só prevê votação do presidente da Casa em casos de "apurações secretas ou para desempatar votações abertas, possibilidade inexistente, já que a votação do impedimento se dá por proporcionalidade.

Para Wyllys, ao anunciar voto publicamente, Eduardo Cunha "mostra nítida intenção de violar as regras regimentais". O ministro Celso de Mello vai relatar do caso.

LEIA TAMBÉM:

- Os últimos movimentos de Lula e Dilma para sepultar o impeachment na Câmara

- Mendes: 'Se precisa do STF para permanecer no cargo, não pode mais ser presidente'

- O Brasil reencontra o impeachment 24 anos depois