NOTÍCIAS

Separação de bens: Temer pede para Justiça Eleitoral desvinculá-lo de Dilma

13/04/2016 15:14 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:53 -02
Flickr/PMDB Nacional

Em total clima de fim de casamento e separação de bens, os advogados do vice Michel Temer deram um passo a mais no divórcio e entraram com um pedido no Tribunal Superior Eleitoral para dividir as responsabilidades e, automaticamente, desvincular as contas da chapa formada pelo peemedebista e por Dilma Rousseff.

As contas de Dilma, em análise no tribunal, também são usadas como argumento para cassar o mandato da petista e, consequentemente, apear o vice do Executivo.

O empurrão para o vice pedir a separação das contas foi a delação do ex-presidente da Andrade Gutierrez Otávio Marques de Azevedo. De acordo com o executivo, a empreiteira fez repasses ilegais para a campanha de Dilma.

O PMDB sustenta a tese de que as contas já estão separadas e que todas as doações de Temer são legais e foram aprovadas pela corte.

Em outubro do ano passado, a Justiça Eleitoral abriu uma Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (Aime), relativa a um pedido do PSDB. Até então inédita, a ação conta com um pedido de cópia dos inquéritos policiais que tramitam no Supremo Tribunal Federal e na Justiça Federal - 13ª Vara Criminal da Seção Judiciária do Paraná a respeito da Operação Lava Jato. O argumento é que a campanha da presidente tenha sido abastecida com recursos desviados de corrupção na Petrobras.

LEIA TAMBÉM:

- Em clima de ‘já ganhou', políticos fazem romaria à casa de Temer

- Cunha traça estratégia para criar clima pró-impeachment no dia da votação

- Por 38 a 27, Câmara acolhe relatório favorável ao impeachment da presidente Dilma Rousseff

- 'Quem nunca'? Temer diz que discurso foi enviado para grupo errado

- Temer antecipa impeachment de Dilma e divulga áudio da vitória, diz jornal