NOTÍCIAS
12/04/2016 13:49 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Ministro do PMDB ataca Temer: ‘Se é para manter os programas, para que mudar o governo?'

Roberto Stuckert Filho/PR

Embora o PMDB esteja oficialmente rompido com o governo, o ministro da legenda que comanda a Ciência e Tecnologia, Celso Pansera fez ataques ao vice Michel Temer e à legenda, em evento público no Palácio do Planalto com a presidente Dilma Rousseff.

Em um discurso caloroso, Pansera criticou a divulgação do áudio em que Temer antecipa o impeachment da petista e questiona:

“Se ele diz que vai manter os mesmos programas sociais e não tem fato determinante para o impeachment, para quê mudar o governo, qual é o sentido se não é a disputa política pela política.”

A afirmação do ministro faz referência ao trecho do áudio no qual Temer diz que pretende manter os programas sociais.

Pansera afirmou ainda que o governo vai resistir ao “golpe” e vai acabar com o terceiro turno das eleições.

No evento com integrantes de classe da educação em defesa da democracia, a presidente corroborou os argumentos de Pansera. Segundo ela, o vazamento da gravação de Temer foi uma farsa planejada para difundir a que a ordem está unida pela conspiração.

“Agora conspiram abertamente a luz do dia para desestabilizar uma presidente legitimamente eleita. Caluniam enquanto leiloam cargos no gabinete do golpe, no governo sem voto.”

Segundo ela, o processo que tramita contra ela no Congresso tem chefe e vice-chefe. Apesar de não citar nomes, a mandatária fazia referência ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e ao vice Temer.

“Se ainda havia alguma dúvida sobre o golpe, a farsa e a traição em curso, não há mais. Se havia alguma dúvida sobre a minha denúncia de que há um golpe de Estado em andamento, não pode haver mais. Os golpistas podem ter chefe e vice-chefe assumidos. Não sei direito qual é o chefe e o vice-chefe. Um deles é a mão não tão invisível assim que conduz com desvio de poder e abusos inimagináveis o processo de impeachment. O outro esfrega as mãos e ensaia a farsa do vazamento de um pretenso discurso de posse. Cai a máscara dos conspiradores. O Brasil e a democracia não merecem tamanha farsa."

Dilma disse ainda que o relatório aprovado que dá continuidade a tramitação do processo de impeachment é falho e que o impedimento sem crime é golpe.

O ministro Aloizio Mercadante também defendeu que não há crime para sustentar o impeachment.

LEIA TAMBÉM:

- Dia de popstar: Relator do impeachment é assediado e distribui voto autografado

- Por 38 a 27, Câmara acolhe relatório favorável ao impeachment da presidente Dilma Rousseff

- 'Quem nunca'? Temer diz que discurso foi enviado para grupo errado

- Temer antecipa impeachment de Dilma e divulga áudio da vitória, diz jornal

- Cunha quer tornar a votação do impeachment em um espetáculo