LGBT

'Ofensa é ser comparado a vocês', rebate gay ridicularizado na faculdade (VÍDEO)

08/04/2016 16:58 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Isso mesmo! Não pode deixar hetero sair por cima. VEM TENTAR OPRIMIR GAY PRA VER. Parabéns Lucas ❤️ Insta dele : @lucasgorgeousxx ✨OBSERVAÇÃO: O menino que está usando a camisa de direto não está relacionado às pessoas que estão sendo apontadas no vídeo. As pessoas para quem Lucas estava falando, não aparecem no vídeo. ✨

Posted by Henrie on Wednesday, April 6, 2016

Você é um estudante universitário gay. Colegas caçoam de você compartilhando fotos suas no WhatsApp. Você faz uma denúncia na coordenação da faculdade, mas isso não adianta. Como reagir?

Em um gesto corajoso, o estudante de direito Lucas Chaves, 21, de Barbacena (MG), não se deixou intimidar e confrontou seus agressores cara a cara.

No vídeo acima, compartilhado no Facebook, Lucas diz a seus colegas, em plena sala de aula, no Centro Educacional Aprendiz, que não se sente ofendido ao ser chamado de "viado".

"Ofensa pra mim é ser comparado com algum de vocês", esbraveja o estudante.

Ele foi ridicularizado por aparecer em uma foto conversando com um colega gay e em outra por estar vestido de mulher – à esquerda, na foto abaixo – para ir à uma festa:


Sobre isso, Lucas disse aos colegas: "Se eu coloquei no meu Facebook, é porque não tenho vergonha da foto. Estou vestido de homem, estou vestido de mulher, vestido do que eu quiser".

"O que eu faço desta porta para lá não te interessa, não interessa a nenhum de vocês. Inclusive, o que eu faço aqui dentro não interessa também. Sou quem paga a minha faculdade."

Lucas comentou a intensa repercussão do vídeo no Facebook:

AGRADECENDO MAIS UMA VEZ A TODOS QUE ESTÃO APOIANDO, DIVULGANDO E ME MANDANDO TANTAS PALAVRAS DE CARINHO EM RELAÇÃO AO V...

Posted by Lucas Chaves on Friday, April 8, 2016


Em entrevista ao BuzzFeed, ele contou que, após verificar o que de fato acontecia, tentou resolver a situação pacificamente por meio da coordenação da faculdade.

"Desta vez eu fiquei cansado de ouvir comentários e risadas, e resolvi me impor", disse na entrevista.

É claro que nenhuma vítima de homofobia é obrigada a encarar seus agressores frente a frente, como Lucas fez. Entretanto, é importante identificar a oposição dele como uma das atitudes legítimas contra o preconceito: não se deixar intimidar.

"Fico feliz por servir de força, exemplo e até como uma voz para todas as pessoas que já sofreram qualquer tipo de opressão e não vão mais aguentar caladas", disse, no Facebook.

Boa, Lucas!

LEIA MAIS:

- Estas são as vozes oficiais que lutam para proteger a comunidade LGBT

- SUR-RE-AL: Mississippi aprova lei que permite discriminação de gays

- Filho de casal homoafetivo dá show contra o preconceito no 'Altas Horas'