MULHERES

Jovem de 17 anos do MBL denuncia assédio ao cobrar posicionamento de deputado

07/04/2016 20:27 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02
reprodução / facebook

"Você é linda. Venha ao meu gabinete e lhe falo pessoalmente."

Foi essa a resposta que uma adolescente de 17 anos teve ao cobrar um posicionamento sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff do deputado ~ indeciso~ João Carlos Bacelar (PR-BA).

Daí em diante, a conversa só piora e uma declaração machista atrás da outra.

O caso veio a público quando a militante do Movimento Brasil Livre fez um desabafo em seu perfil no Facebook. O post já tem mais de 4 mil compartilhamentos.

A jovem mandou mensagens de Whatsapp para o número do deputado questionando: "o senhor será a favor do povo ou do finado governo?". Em menos de 10 minutos, ela teve a resposta: "Você é linda".

A adolescente insistiu em saber o posicionamento do deputado, que partiu dos elogios para os convites nada discretos: "Venha tomar um café em meu gabinete".

Ela não desiste e pede para que o deputado saia de "cima do muro e venha para o lado da população brasileira", ao que ele responde: "se for para namorar com você posso pensar".

Irritado com a persistência da garota, o diálogo ainda continuou com violência por parte do parlamentar: "Filha da puta. Para de me importunar".

A jovem, no entanto, não respondeu a nenhuma das provocações do político:

Hoje venho a público para informar algo muito triste.Nós do Movimento Brasil Livre estamos na Operação Minerva, que...

Publicado por Maria Eduarda Bernardo em Quarta, 6 de abril de 2016


A assessoria de imprensa de João Carlos Bacelar negou à Folha de S.Paulo autoria do conteúdo das mensagens e disse que o responsável pelas respostas foi outro funcionário do gabinete, que não teve o seu nome exposto, mas será exonerado do cargo.

Ainda segundo a Folha, a assessoria acrescentou que o deputado ficou indignado com tal atitude e pediu desculpas pelo ocorrido.

LEIA MAIS:

- 'Papai, te odeio': O relato chocante de uma menina argentina, vítima de abuso sexual

- Dilma detona IstoÉ: ‘Texto muito baixo que reproduz um tipo perverso de misoginia'