MULHERES

#FreeKesha: Kesha perde mais uma fase do processo de estupro e agressões psicológicas de Dr. Luke, seu produtor

07/04/2016 20:13 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02
Getty Images

A disputa judicial entre Kesha e Dr. Luke teve mais um triste capítulo.

A juíza da Suprema Corte do estado de Nova York, Shirley Werner Kornreich, decidiu, nesta quarta-feira (6), que o produtor é inocente das acusações de abusos sexuais e psicológicos movidas pela artista.

Kornreich alegou que não há provas ou informações suficientes contra Dr. Luke e justificou sua decisão dizendo que "nenhum estupro é um crime motivado por gênero".

Além disso, a juíza alegou que Kesha só especifica duas datas dos supostos crimes, enquanto acusa o produtor de abuso recorrente ao longo dos anos.

Dr. Luke, cujo nome real é Lukasz Gottwald, negou todas as acusações judicias. Nenhuma queixa foi registrada contra ele a possibilidade de reabertura do processo foi descartada.

Quando Kesha será ouvida?

Kesha alegou no processo, que se iniciou em 2014, que Dr. Luke a insultava constantemente sobre seu peso, o que a levou a ter distúrbio alimentar. Kornreich, no entanto, discorda que insultos e comentários depreciativos causem estresse e problemas emocionais.

A decisão deixou apenas um dos pedidos do processo em aberto, que é sobre os termos do contrato de gravação de diversos álbuns de Kesha com a produção de Dr. Luke em parceria com a Sony no selo Kemosabe Label.

Kesha está apelando por uma decisão anterior que negou seu pedido de ser liberada de seu contrato a gravadora. Dr. Luke e a Sony disseram que ela precisaria gravar mais quatro álbuns para fechar esse negócio, mesmo que ela trabalhasse com outro produtor.

No último domingo (3), Kesha postou uma foto em seu Instagram dizendo que ofereceram a ela sua liberdade, caso ela ficasse quieta sobre as violências que sofreu.


Como tudo começou

Em fevereiro, Kesha perdeu a ordem judicial que moveu contra o produtor Dr. Luke, em que denunciava os abusos físicos, verbais e psicológicos que sofria por ele.

Depois da decisão da Suprema Corte de Nova York, os fãs da cantora manifestaram apoio com a hashtag #FreeKesha. Celebridades como Lady Gaga, Lorde, Grimes, Demi Lovato, Lily Allen, Kelly Clarkson e Taylor Swift também se solidarizaram com o ocorrido.

Os advogados do Dr. Luke e Kesha ainda não se pronunciaram sobre esta decisão da juíza Kornreich. Você pode ler o documento completo clicando aqui.

(Com informações da Reuters)

LEIA MAIS:

- Kesha: 'Ofereceram para mim liberdade se eu dissesse que nunca fui estuprada'

- #FreeKesha: Taylor Swift doa R$ 1 milhão a Kesha para apoiá-la em briga judicial contra Dr. Luke