NOTÍCIAS

Gilmar Mendes: Mesmo réu, Cunha pode assumir a presidência do País

06/04/2016 12:23 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02
Montagem/Agência Brasil/Câmara

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, afirmou ao Valor que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), poderá assumir a presidência do País, mesmo sendo réu na Operação Lava Jato.

Esta hipótese leva em conta a possibilidade de impeachment da presidente Dilma Rousseff e a ausência do vice Michel Temer.

"Enquanto [Cunha estiver apenas] denunciado, não há esse impedimento. Se condenado, claro [que há]. Inclusive porque há perda de funções. Mas há outras pessoas que já tiveram denúncias recebidas do STF e continuam exercendo o mandato", disse o ministro, na terça-feira (5), no no 7º Congresso de Pesquisa de Mercado e Opinião Pública, em São Paulo, segundo o Valor."

Cunha é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele é alvo de um pedido de afastamento do comando da Câmara e do cargo de presidente da Casa, protocolado pelo procurador-Geral da República, Rodrigo Janot. O Supremo analisa desde o fim do ano passado o pedido. Ainda não há data para julgamento.

LEIA TAMBÉM:

- Ministro do STF determina que Cunha aceite pedido de impeachment contra Temer

- Câmara diz que não aceita intervenção do STF para decidir impeachment de Temer

- 'É vingança de Cunha', alega Cardozo para pedir arquivamento do impeachment de Dilma

- Câmara diz que não aceita intervenção do STF para decidir impeachment de Temer

- Para conter crise política, governo adia ajuste fiscal