NOTÍCIAS

Refugiados devolvidos da Grécia chegam à Turquia sob acordo da UE

04/04/2016 10:25 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02
ASSOCIATED PRESS
A migrant child looks out behind a wire fence of a refugee camp in the western Athens' suburb of Schisto, Monday, April 4, 2016, during the first day of the implementation of the deal between EU and Turkey. Under the deal, migrants arriving illegally in Greece will be returned to Turkey if they do not apply for asylum or if they make an asylum claim that is rejected. (AP Photo/Lefteris Pitarakis)

Refugiados e imigrantes enviados de volta da ilha grega de Lesbos começaram a desembarcar na Turquia nesta segunda-feira (4) sob um contestado acordo da União Europeia com o intuito de fechar a principal rota de chegada à UE, pela qual milhões de pessoas atravessaram o mar Egeu para a Grécia no ano passado.

Sob um acordo criticado por agências de refugiados e manifestantes de direitos humanos, Ancara irá receber todos os imigrantes e refugiados que entrarem ilegalmente na Grécia, incluindo sírios, em troca de a UE receber milhares de refugiados sírios diretamente da Turquia e pagar mais dinheiro diretamente ao país, oferecer isenção de vistos iniciais e fazer avançar as negociações para a entrada da Turquia na UE.

O reenvio do primeiro grupo de migrantes que entraram ilegalmente na Europa, incluindo os refugiados provenientes da Síria, é uma das medidas previstas no acordo UE-Turquia, assinado em 18 de março. O primeiro grupo é composto por 500 migrantes.

Dois barcos de passageiros com bandeiras turcas carregando 131 imigrantes desembarcaram na cidade turca de Dikili nesta segunda-feira, acompanhados por duas fragatas da guarda costeira turca e um helicóptero da polícia, disse uma testemunha da Reuters.

Uma autoridade da guarda costeira na ilha grega de Chios disse à Reuters que 66 pessoas, na maioria afegãs, também foram enviadas à Turquia em um terceiro barco na manhã desta segunda-feira.

O objetivo do acordo entre Turquia e UE é desencorajar imigrantes a fazer as travessias ilegais, muitas vezes realizadas em pequenos barcos, e quebrar o modelo comercial de tráfico de pessoas que impulsionou a maior onda imigratória na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

Em 2015, cerca de 1 milhão de pessoas atravessou o Mar Egeu em direção à Grécia, mas segundo as autoridades gregas e após a entrada em vigor do acordo UE-Turquia, o fluxo diminuiu de forma significativa.

Na sequência do fechamento da rota dos Balcãs, no fim de fevereiro, cerca de 50 mil exilados não abrangidos pelo acordo permanecem na Grécia.

(Com informações da Reuters)