MULHERES

Após gafe da IstoÉ, Luiza Erundina defende: 'Agressão de gênero não é crítica política'

04/04/2016 18:23 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02
Reprodução/Facebook

A deputada federal Luiza Erundina (PSOL) postou em seu Facebook uma nota na qual repudia a agressão de gênero à presidente Dilma Rousseff.

No texto, ela diz que "agressão de gênero não é crítica política" e que a presidente "merece ser criticada por várias decisões tomadas à frente do Executivo", mas que isso não justifica as agressões de gênero direcionadas a ela.

AGRESSÃO DE GÊNERO NÃO É CRÍTICA POLÍTICAA presidente Dilma Rousseff merece ser criticada por várias decisões tomadas ...

Posted by Luiza Erundina on Monday, 4 April 2016


A postagem da deputada foi feita dois dias depois da divulgação da polêmica capa da última edição da revista IstoÉ. A reportagem intitulada "As explosões nervosas da presidente" mostra Dilma como uma autoridade desequilibrada e sem condições emocionais para comandar o País.

Desde sua publicação, a reportagem foi duramente criticada nas redes sociais por feministas, que a consideraram extremamente machista e compartilharam a hashtag #IstoÉMachismo.

No último sábado, o Think Olga, ONG dedicada ao empoderamento feminino, divulgou uma nota sobre o tema, contextualizando-o com o termo Gaslighting - violência emocional por meio de manipulação psicológica, que leva a mulher a achar que é louca ou incapaz.

"É muito grave quando a imprensa apresenta esse comportamento - e ela o faz com toda intenção e consciência de seus atos -, pois ela legitima sua ocorrência nas nossas vidas e na vida de todas as mulheres. Como no caso da capa desta semana da Revista ISTOÉ, que traz a presidente Dilma em uma foto de aparente descontrole emocional e cujo foco é noticiar esse comportamento na presidenta com o único objetivo de retratá-la como louca e desmerecê-la pessoal e profissionalmente."

Este não é um post sobre política.Este é um post sobre GASLIGHTING, que é uma forma de machismo cruel e perniciosa....

Posted by Think Olga on Saturday, 2 April 2016

No último domingo, Erundina formalizou sua pré-candidatura à Prefeitura de São Paulo pelo PSOL. Após deixar o PSB em março, a deputada agora disputará a prefeitura da capital com Ivan Valente como vice.

LEIA MAIS:

- #IstoÉMachismo: Feministas repudiam capa da revista IstoÉ nas redes sociais

- As leis mais misóginas do mundo